Irão

Alunos protestam em Teerão contra pressão para uso do véu obrigatório

Alunos protestam em Teerão contra pressão para uso do véu obrigatório

Um grupo de estudantes universitários iranianos realizou um protesto num campus em Teerão contra a crescente pressão das autoridades sobre as mulheres para usaram o véu islâmico obrigatório em público.

A agência noticiosa ISNA indicou que os estudantes da Universidade de Teerão em protesto - homens e mulheres - tiveram uma ligeira briga com outro grupo de estudantes que apoiam o conservador código de vestuário do país. A concentração terminou após algumas horas.

O vice-reitor da universidade, Majid Sarsangi, disse à ISNA que não há novas medidas na universidade relativas ao uso obrigatório do véu, defendendo, no entanto, que os estudantes devem ter mais respeito pela regra durante o corrente mês do Ramadão.

Adiantou que os manifestantes não tinham autorização para realizarem o protesto.

O véu islâmico é obrigatório em público para todas as mulheres no Irão. As que violam a regra são geralmente sentenciadas a um máximo de dois meses de prisão e a uma multa de cerca de 22 euros.

Uma destacada advogada dos direitos humanos, Nasrin Sotoudeh, foi condenada em maio a sete anos de prisão depois de defender manifestantes anti-véu islâmico.

As autoridades iranianas adotaram uma abordagem mais dura em relação a esses protestos desde 2017, após dezenas de mulheres retirarem os seus véus em público. O regime responsabiliza grupos de oposição sediados no estrangeiro pelos protestos.