Tempestade

Furacão Lane vai chegar ao Havai com ventos de 200 km/h

O poderoso furacão Lane fotografado da Estação Espacial Internacional|

 foto @astro_ricky/NASA/via REUTERS

População previne-se contra a força do furacão|

 foto Hugh Gentry/Reuters

Previsão de ondas até seis metros e risco de cheias|

 foto Bruce Omori/EPA

Previsão de ondas até seis metros e risco de cheias|

 foto Bruce Omori/EPA

Funcionários federais disseram esta quinta-feira que o furacão Lane continua a ser uma poderosa tempestade de categoria 4 que terá um grande impacto nas ilhas havaianas na noite de quinta-feira.

Steve Goldstein, da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos, disse em conferência de imprensa que o furacão Lane continua com ventos que atingem os 209 quilómetros/hora.

À hora da conferência de imprensa, o Lane encontrava-se a cerca de 480 quilómetros a sul de Honolulu e esperava-se que atingisse a Ilha Grande ao anoitecer desta quinta-feira antes de seguir para as ilhas de Maui e Oahu.

Goldstein disse que não é necessário que o furacão passe por cima das ilhas para ter um impacto significativo, dada a sua violência.

As autoridades consideraram possível que ocorram mais de 30 centímetros de chuva por metro quadrado em algumas áreas, o que pode significar cheias, ondas perigosas de seis metros e uma tempestade acima dos níveis normais.

As autoridades federais disseram que estavam preparadas para ajudar as pessoas nas ilhas.

Brad Kieserman, da Cruz Vermelha, informou que existem 16 abrigos de emergência abertos e que já estavam 283 pessoas na Big Island nos abrigos.

Pelas 18.15 horas em Portugal continental (05.15 horas no Havai) as chuvas torrenciais do furacão Lane já se faziam sentir na Ilha Grande do Havai.

O meteorologista do Serviço Nacional de Meteorologia, Gavin Shigesato, disse que os pluviómetros próximos de Hilo (cidade da Ilha Grande) registaram 30,5 centímetros por metro quadrado de chuva em 12 horas. Certas regiões da ilha de Maui já sentiam as fortes chuvas que se estenderam a 566 quilómetros do centro do furacão.

Shigesato disse que a velocidade do furacão diminuiu na quarta-feira de 15 quilómetros/hora para 11 quilómetros/hora.

Para o especialista, um furacão mais estacionário aumenta a ameaça de inundações repentinas e deslizamentos de terra por causa do aumento prolongado das chuvas fortes.

Às 03 horas (14 horas em Portugal continental), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, emitiu uma declaração de desastre para o Havai.