Meteorologia

Prateleiras vazias e lojas fechadas. EUA preparam-se para o furacão Florence

Secção do pão no supermercado norte-americano Walmart|

 foto JIM LO SCALZO/EPA

Secção do sumo de laranja no supermercado norte-americano Walmart|

 foto JIM LO SCALZO/EPA

Restaurante local fechado|

 foto JIM LO SCALZO/EPA

Merceria Redix fechada|

 foto JIM LO SCALZO/EPA

Pessoas retiradas|

 foto CAITLIN PENNA/EPA

Pessoas retiradas|

 foto CAITLIN PENNA/EPA

 foto CAITLIN PENNA/EPA

 foto CAITLIN PENNA/EPA

Pessoas retiradas aguardam por abrigo junto a uma escola|

 foto CAITLIN PENNA/EPA

 foto JIM LO SCALZO/EPA

 foto JIM LO SCALZO/EPA

Homem enche recipientes com gasolina para o gerador|

 foto Anna Driver/REUTERS

Supermercados com prateleiras vazias, restaurantes fechados e pessoas retiradas das casas. Nos EUA, já se prepara a chegada daquele que pode ser um dos mais destruidores furacões das últimas décadas, na costa atlântica dos Estados Unidos.

Meteorologistas da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos da América, preveem que cerca de 2,4 milhões de pessoas podem ficar sem energia devido ao furacão Florence, admitindo que algumas interrupções podem ser prolongadas.

Além de as prateleiras dos supermercados com os produtos de maior necessidade terem ficado vazias, as companhias aéreas estão também a começar a cancelar voos e já mais de um milhão de pessoas foram retiradas, o que faz com que este possa ser um dos furacões mais destruidores das últimas décadas, na costa atlântica dos Estados Unidos, alertaram especialistas.

O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que o Governo federal está "absolutamente, totalmente preparado" para responder ao furacão Florence, que alcançou a categoria 4 (na escala de Saffir-Simpson, composta por cinco níveis, com ventos até 220 quilómetros/hora) e dirige-se para a costa leste dos EUA.

Trump declarou estado de emergência na Carolina do Norte e Carolina do Sul, o que permite libertar meios de agências federais.

O furacão deve passar hoje entre as Bahamas e as Bermudas e chegar na quinta-feira à costa norte-americana.