Crime

Publicou artigo sobre como matar um marido... E matou

Nancy Brophy, suspeita de homicídio|

 foto Polícia de Portland

Nancy Brophy, suspeita de homicídio|

 foto Polícia de Portland

Já se sabe que a realidade supera a ficção, e esta é uma história que, adivinha-se, dará um filme. Uma escritora que publica um trabalho sobre como matar um marido. O marido dela é encontrado morto. Assassinado. Ela transforma-se na principal suspeita do crime.

Nancy Brophy, 68 anos, autora de romances sobre relações complicadas, foi detida no passado dia 5 por ser suspeita de ter matado o marido, Daniel Brophy, 63 anos, acarinhado chef de cozinha, em Portland, no Estado norte-americano de Oregon. Não teve direito a liberdade mediante pagamento de caução e também não avançou com qualquer recurso. O advogado não faz comentários.

Escreve sobre relações "erradas" entre casais. Relações erradas "que parecem certas". Os protagonistas masculinos dos seus livros são quase sempre homens de forma física robusta. As protagonistas são mulheres fortes.

Em "The Wrong Cop" (o polícia errado, em tradução literal), por exemplo, escreveu acerca de uma mulher que fantasia todos os dias sobre a forma como vai matar o marido. Mas em "How To Murder Your Husband" (como matar o seu marido), um artigo que publicou no seu blogue em 2011, Nancy vai mais longe e enumera várias sugestões de assassinatos. E como não ser apanhada. O detalhe da investigação feita pela autora é apurado e parece ter sido aplicado à sua própria vida pessoal.

Conta a Imprensa norte-americana, citando a Polícia de Portland, que Nancy terá assassinado o marido a tiro com uma arma ilegal. Daniel foi encontrado morto no local de trabalho. Era professor de cozinha no Instituto de Culinária de Oregon. Para colegas de profissão e alunos era "uma enciclopédia de conhecimento", dono de um particular sentido de humor e criatividade na forma como conduzia as aulas.

Antes de ser detida, Nancy publicou um post no Facebook (entretanto retirado), no qual se mostrava chocada com os acontecimentos e marcou presença na homenagem feita pelo Instituto de Culinária.

Esta semana, a Polícia recusou avançar com quaisquer detalhes da investigação.

"Para mim é mais fácil desejar que alguém morra do que matá-la realmente. Mas o que sei sobre homicídios é que cada um de nós é capaz de o fazer quando levado a um certo ponto", escreveu a suspeita. Nancy e Daniel estavam casados há 27 anos. Era o "segundo e último" casamento de ambos. Tinham prometido nunca divorciar-se.