Egito

Arqueólogos descobrem estátua gigante de Ramsés II no Cairo

Arqueólogos descobrem estátua gigante de Ramsés II no Cairo

Arqueólogos egípcios e alemães revelaram, quinta-feira, que descobriram no Cairo uma estátua com oito metros de altura e três mil anos de idade, que representará o faraó Ramsés II, um dos mais poderosos e conhecidos líderes do Egito.

A estátua de quartzito estava enterrada na zona leste da cidade moderna do Cairo, numa área pobre nas proximidades do templo de Ramsés II, no antigo templo de Heliopolis.

"Encontramos o busto da estátua e a parte de baixo da cabeça. Agora retiramos a cabeça e encontramos a coroa, a orelha direita e um fragmento do olho direto", revelou à agência Reuters o ministro das Antiguidade egípcio, Khaled al-Anani. Será uma das maiores descobertas de sempre, afirmou o político.

Os cientistas vão agora tentar recuperar todas as partes da estátua para a restaurar e, se for confirmado sem dúvidas de que pertence a Ramsés II, a colocar na entrada do futuro Grande Museu do Egito, que abre portas em 2018. Em simultâneo, foi encontrada uma outra estátua, com 80 centímetros, do faraó Seti II, neto de Ramsés II.

Heliopolis era um dos templos mais importantes do antigo Egito, com quase o dobro do tamanho do templo de Karnak, em Luxor, mas foi destruído posteriormente. Alguns dos seus obeliscos foram levados para Alexandria ou para a Europa, com algumas das rochas a serem também usadas para construção no Cairo.

Segundo Dietrich Raue, líder da expedição alemã no local, a tradição egípcia explica que "o deus do sol criou o mundo em Heliopolis, na zona de Matariya".

"Isto é o que explico quando me perguntam se era importante. De acordo com as crenças faraónicas, o mundo foi criado em Matariya", completou.