Síria

Ataques aéreos contra jiadistas matam 14 civis

Ataques aéreos contra jiadistas matam 14 civis

Pelo menos catorze civis morreram, este sábado, na Síria, na sequência de combates aéreos da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos contra o último reduto do grupo extremista Estado Islâmico.

"Catorze civis, dos quais cinco crianças, foram mortas na sequência dos raides da coligação sobre as localidades de Hajine, Soussa e Al-Chaafa", situadas na área do último reduto do Estado Islâmico (EI), na província de Deir Ezzor (no leste da Síria), disse à agência AFP Rami Abdel Rahmane, diretor do Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH).

Isto no dia em que as Nações Unidas e a Cruz Vermelha começaram a entregar ajuda humanitária a cerca de 50 mil deslocados num campo da Síria, perto da fronteira com a Jordânia.

Trata-se da primeira ajuda entregue desde janeiro, no campo de Rokbane, no sudeste da Síria, disseram as duas organizações.

A operação de distribuição deverá prolongar-se por três a quatro dias, acrescentaram.

Desde outubro, já morreram duas crianças - um bebé de cinco dias e um de quatro meses - naquele campo, devido a falta de cuidados, segundo a Unicef.

Este é o primeiro comboio de ajuda humanitária da Cruz Vermelha síria a deslocar-se ao campo de Rokbane "depois da obtenção de garantia de segurança de todas as partes" envolvidas no conflito, salienta o presidente da organização, Khaled Hboubati.

Na sexta-feira pelo menos oito pessoas, cinco das quais civis, foram mortas em ataques de artilharia do regime sírio contra a província de Idlib, apesar de um acordo para a criação de uma "zona desmilitarizada", indicou uma organização não-governamental.

A "zona desmilitarizada" para separar os territórios dos insurgentes em Idlib das regiões sob controlo do regime resulta de um acordo entre a Rússia, aliada de Bashar al-Assad, e a Turquia, apoiante de rebeldes, assinado a 17 de setembro e que deveria ter entrado em vigor em meados de outubro.

Mas algumas das condições do acordo não foram respeitadas no terreno e têm ocorrido confrontos entre as forças governamentais e os rebeldes ou os jiadistas. A violência registada na sexta-feira está entre as mais mortíferas das últimas semanas.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), os tiros de artilharia do regime atingiram um setor no sudeste de Idlib, nomeadamente a localidade de Jarjanaz, que faria parte da zona desmilitarizada.

Imobusiness