Mundo

Aumentou procura de armas em Colónia após violência de Ano Novo

Aumentou procura de armas em Colónia após violência de Ano Novo

A procura de armas de autodefesa, como pistolas de alarme, está a aumentar em Colónia desde as agressões ocorridas na noite de Ano Novo que originaram 652 queixas.

"Tem chegado um grande número de pedidos de autorização de porte de pistolas de alarme à polícia de Colónia", indicou a instituição na sua página na rede social Facebook.

O receio do público aumentou desde a noite da passagem de ano, quando centenas de mulheres foram roubadas e agredidas sexualmente por homens na maioria árabes e norte-africanos junto à principal estação ferroviária de Colónia.

Vários meios de comunicação social alemães dão conta de um aumento da procura, tanto de pistolas de alarme como de 'spray' de autodefesa, na zona de Colónia, mas também noutras regiões da Alemanha, como a Baviera, por onde entrou a grande maioria dos migrantes no país vindos da Áustria.

"Desde o início do ano vendemos duas vezes mais 'spray' de defesa que normalmente e as vendas de pistolas de alarme aumentaram cerca de um terço", disse um comerciante da localidade de Neuss, a norte de Colónia, citado no 'site' na Internet do diário local Rheinische Post.

"São sobretudo homens que querem comprar os 'spray' para as suas mulheres e filhas", adiantou.

Das 652 queixas apresentadas relativamente à violência na noite de Ano Novo, metade dizem respeito a abusos sexuais. A procuradoria local prometeu uma recompensa de 10.000 euros em troca de informações que permitam a detenção dos agressores.

Segundo a polícia, a maioria dos suspeitos das agressões são refugiados e imigrantes ilegais, o que deu força às críticas no país sobre a generosa política da chanceler Angela Merkel em relação aos requerentes de asilo.

Imobusiness