Austrália

Austrália aprovou taxa de carbono

Austrália aprovou taxa de carbono

A câmara baixa do parlamento australiano aprovou, esta quarta-feira, uma lei que instaura uma taxa de carbono, depois de anos de debate sobre o assunto, na sequência da forte oposição dos grupos mineiros do país.

O texto do governo minoritário dirigido pela trabalhista Júlia Gillard - que encabeça uma coligação que inclui os Verdes e três deputados independentes - foi adoptado por 74 votos a favor e 72 contra.

A votação será confirmada na câmara alta do parlamento em Novembro, e os principais emissores de CO2 deverão começar a pagar uma taxa de carbono a partir de 1 de Julho de 2012.

A partir de 2015, esta taxa, fruto de um compromisso entre os trabalhistas e os Verdes, será substituída por um esquema de trocas de quotas de emissões na Ásia-Pacífico, a preços variáveis, fixados pelo mercado.

"Hoje é um dia significativo para os australianos e para os australianos de amanhã que querem usufruir de um melhor ambiente", declarou a chefe do governo.

A Austrália,que é um dos maiores exportadores de carvão, e onde a taxa de emissão de CO2 por habitante é das mais altas do mundo, estava a tentar introduzir uma taxa sobre os agentes poluentes ou um sistema de troca de quotas de emissões há algum tempo a esta parte, mas todas as iniciativas precedentes foram chumbadas.

A taxa de carbono é fortemente criticada pela oposição conservadora, que a descreve como ineficaz e destruidora de empregos, além de alegar que aumentará o custo de vida dos australianos.