Turquia

Autarquia recusa-se a fornecer água para canhões da polícia na Turquia

Autarquia recusa-se a fornecer água para canhões da polícia na Turquia

A autarquia de Antalya, no sul da Turquia, recusou-se a fornecer água à polícia, que a tem utilizado nos últimos dias para dispersar manifestantes, informou a agência de notícias turca Dogan.

Milhares de pessoas manifestaram-se durante a noite em dezenas de cidades da Turquia, pelo quinto dia consecutivo, que ficou marcado por novos confrontos entre a polícia e os manifestantes.

De acordo com a agência noticiosa, a autarquia de Antalya, liderada pelo Partido Republicano [do Povo CHP], recusou-se a permitir que a polícia utilizasse os reservatórios de água dos bombeiros para abastecer os veículos de controlo de motins (TOMA), alegando que tal poderia provocar problemas caso houvesse um incêndio na cidade.

As forças policiais recorreram então a Kerpz, uma autarquia distrital, representada por um militante do partido do executivo turco, e utilizaram água guardada em tanques para regar parques e jardins da região.

Um representante do gabinete do governador (nomeado pelo executivo central) interveio no processo para que fosse fornecida água para abastecer os TOMA.

Uma das mais importantes confederações sindicais turcas apelou a uma greve de dois dias a partir de hoje para denunciar o recurso à violência contra os manifestantes.

Os protestos, com origem num movimento de contestação contra um projeto imobiliário que implica a destruição de um parque no centro de Istambul, transformou-se num vasto movimento anti-AKP (o partido no poder na Turquia) após a repressão brutal das primeiras manifestações pela polícia.

O Governo turco confronta-se há quase uma semana com a mais forte contestação à sua autoridade desde que assumiu o poder, em 2002.