Mundo

Força Aérea não detetou o som misterioso que assusta a população

Força Aérea não detetou o som misterioso que assusta a população

As Forças Armadas do Canadá fizeram buscas mas não encontraram o som misterioso que assusta as pessoas de Fury e Hecla.

O Governo regional de Nunavut solicitou ajuda à Força Aérea do Canadá para investigar "sons misteriosos provenientes do fundo do mar", no estreito de Fury e Hecla, que estavam a assustar populações e animais.

Um avião CP-140 Aurora da Força Aérea do Canadá sobrevoou a zona em causa e não detetou qualquer barulho produzido artificialmente, informou o Departamento de Nacional de Defesa (DND), em comunicado enviado a um jornal local.

"A tripulação fez várias buscas com sensores, incluindo uma busca acústica durante 90 minutos, sem detetar qualquer anomalia sonora", explicou o DND.

"A tripulação não encontrou qualquer contacto subterrâneo ou à superfície", acrescenta O DND, que acedeu a investigar o fenómeno, descrito como "apito", "zumbido" e "assobio", que teria sido ouvido no estreito de Hecla e Fury, a cerca de 120 quilómetros de Igloolik (Canadá), desde o verão.

O som foi detetado inicialmente em junho por alguns marinheiros, que gravaram os sons misteriosos com equipamento de sonar. Caçadores da comunidade Inuite também reportaram o som, que está afugentar os animais, fundamentais à sobrevivência dos membros desta nação indígena esquimó.

Paul Quassa, da Assembleia Legislativa local, que denunciou o caso, agradeceu a rapidez de ação das Forças Armadas. "Quero agradecer ao DND a cleridade com que acederam a investigar o caso", disse.

"Sei que vão continuar a investigar o caso e vão manter a cooperação com os caçadores, para partilhar informação sobre o que ambos forem encontrando", acrescentou Quassa, salientando que o som deixou, entretanto, de se ouvir.

Imobusiness