Mundo

Barack Obama reeleito presidente

Barack Obama reeleito presidente

Barack Obama vai ficar na Casa Branca. O presidente norte-americano conseguiu vencer as eleições nos EUA, no culminar de uma campanha muito renhida, em que Mitt Romney e Obama lutaram pela vitória até ao último dia. "O melhor ainda está para vir", garantiu Obama no discurso de vitória.

Perante a explosão de alegria dos seus apoiantes, Obama subiu ao palco, num centro de convenções em Chicago, acompanhado pela sua mulher, Michelle Obama, e pelas suas filhas, Sasha e Malia.

No discurso de vitória, Obama começou por garantir que para os EUA, "o melhor ainda está para vir" e que o caminho de "aperfeiçoamento da União" americana vai continuar. O democrata deixou também palavras de congratulação ao seu adversário e à sua famíla, garantindo que no telefonema que fez a Romney conversou com ele sobre formas de colaborarem no futuro.

Barack Obama agradeceu aos seus apoiantes e voluntários de campanha, que apelidou como sendo "os melhores da história dos EUA".

"Vou regressar à Casa Branca mais determinado e mais inspirado do que nunca", garantiu. "Vou trabalhar com os dois partidos para enfrentar os desafios que temos pela frente. Temos muito trabalho para fazer", continuou.

"Apesar de todas as dificuldades porque passamos, nunca estive tão esperaçado pelo futuro", disse Obama. "Eu acredito que podemos agarrar o futuro. Não estamos tão divididos como os nossos políticos sugerem e somos maiores do que a soma das nossas ambições", terminou o presidente norte-americano, num discurso inflamado que levou ao delírio os milhares de apoiantes que o foram ouvir a Chicago.

Numa primeira reação, através do Twitter, Obama já tinha agradecido aos seus apoiantes: "Isto aconteceu graças a vocês. Obrigado."

Romney apela à união

Depois de alguns momentos de expectativa, em que o lado republicano hesitava sobre o melhor momento para admitir a derrota, Romney acabou aparecer em público para afirmar que já tinha telefonado a Obama para o congratular. Foram para o democrata as primeiras palavras do discurso de derrota que Romney proferiu em Boston, o centro da sua campanha. O candidato derrotado congratulou a família Obama e desejou-lhe sorte. "A nação escolheu outro líder, e por isso eu e a Anna vamos juntar-nos a vocês e rezar por ele e por este grande país", afirmou.

Numa declaração curta, Romney acrescentou ainda que se candidatou porque "está preocupado com a América", mas que acredita que Obama "será bem sucedido a guiar o país nestes tempos difíceis". "É preciso que os políticos ponham as pessoas antes da política", apelou o republicano.

Vitória clara de Obama

Apesar dos resultados eleitorais ainda não serem definitivos, o número de votos do colégio eleitoral que Obama deu como garantidos, 303, foi suficiente para a vitória sobre o candidato republicano. A dupla Barack Obama e Joe Biden, o seu candidato à vice-presidência, repete, assim, a conquista eleitoral que os colocou na Casa Branca em 2008.

Obama ultrapassou por isso o mínimo de 270 votos do colégio eleitoral que um candidato à Casa Branca necessita para vencer as eleições.

O presidente dos EUA resistiu a uma campanha muito dura, em que foi gasto pelos dois candidatos um número recorde de dinheiro, muito perto do milhar de milhão de euros. O combate eleitoral, especialmente na última fase, foi considerado pelos analistas como tendo sido muito agressivo, azedo e demasiado sustentado em mensagens negativas sobre o adversário.

No caminho para a vitória, Obama conseguiu manter do lado democrata os estados que normalmente votam no seu partido, mas também foi capaz de vencer a maioria dos embates previsivelmente mais difíceis, como nos estados do Iowa, Pensilvânia, Michigan, Minnesota e Wisconsin. Estes estados, considerados fundamentais nas eleições presidenciais nos EUA, são chamados os "swing states", cujos resultados são normalmente imprevisíveis e que têm um número relevante de votos no colégio eleitoral.

Em 2008, Obama foi eleito com 365 votos do colégio eleitoral, contra os 173 obtidos pelo então candidato pelo partido republicano, John McCain.

Romney conseguiu vencer na Carolina do Norte e no Indiana, dois estados que McCain tinha perdido em 2008, e também assegurou vantagem nos estados tradicionalmente republicanos. Mas o republicano não conseguiu vencer noutros "swing states", atirando a vantagem para Obama.

Senado e Congresso também foram eleitos

Os norte-americanos votaram também para eleger um terço dos lugares do Senado e todos os candidatos ao Congresso. As projeções avançam que os republicanos vão manter a maioria no Congresso, sinal de muitas dores de cabeça para Barack Obama, e que os democratas deverão conseguir manter a maioria no Senado.

Maine e Maryland aprovam casamento homossexual

Noutras iniciativas legislativas que também foram a votos, esta terça-feira, as mais marcantes foram a aprovação do casamento homossexual nos estados do Maine e Maryland, e a legalização do consumo de cannabis para fins recreativos no estado do Colorado.

Outro dado a destacar é a eleição da democrata Tammy Baldwin, no estado do Wisconsin, que se torna na primeira senadora homossexual da história dos Estados Unidos.

Comunidade internacional felicita Obama

Vários dirigentes mundiais já felicitaram Barack Obama pela reeleição como presidente dos Estados Unidos. Como é o caso do "amigo" britânico David Cameron ou da chanceler alemã Angela Merkel. UE, NATO e Nações Unidas contam com Obama para "manter laços de paz e segurança".

Também de Portugal foram enviadas saudações, nomeadamente, do Presidente da República, Cavaco Silva, e do líder do PS, António José Seguro,