Mundo

Brasil apreende dólares e joias ao filho do Presidente da Guiné-Equatorial

Brasil apreende dólares e joias ao filho do Presidente da Guiné-Equatorial

A polícia federal brasileira aprendeu mais de 16 milhões de dólares (13,7 milhões de euros), em dinheiro e joias, à delegação que acompanhava o filho do Presidente da Guiné-Equatorial num aeroporto do Brasil, noticiou a imprensa brasileira.

Segundo a edição "online" do jornal Estado de São Paulo, a polícia federal apreendeu quase 1,5 milhões de dólares (1,3 milhões de euros) em notas numa mala e cerca de 20 relógios de luxo noutra.

Teodoro Nguema Obiang Mangue, conhecido como Teodorin, vice-presidente da Guiné-Equatorial e filho de Teodoro Obiang Nguema, no poder há 39 anos, integrava uma delegação de 11 pessoas que chegou na sexta-feira, a bordo de um avião privado, ao aeroporto de Viracapos, em Campinas, perto de São Paulo.

Segundo a TV Globo, a delegação não estava em missão oficial, pelo que apenas Teodorin beneficiava de imunidade diplomática.

A bagagem da restante delegação foi inspecionada e as pessoas interrogadas, enquanto o vice-presidente esperava num automóvel, no exterior do aeroporto.

Segundo a lei brasileira, a entrada no país de dinheiro em espécie está limitada a 10 mil reais, que correspondem a cerca de 2400 dólares (aproximadamente dois mil euros).

Fonte diplomática equato-guineense citada pelo Estado de São Paulo explicou que Obiang transportava aquela quantidade de dinheiro para pagar um tratamento médico e custear a hospedagem num hotel de luxo e que os relógios são de "uso pessoal" do vice-presidente, tendo as suas iniciais gravadas.

Segundo o jornal brasileiro, Teodorin viaja frequentemente para o Brasil, onde é "conhecido por promover festas extravagantes e até por patrocinar uma escola de samba no Carnaval carioca".

Teodoro Nguema Obiang Mangue foi condenado em França em outubro de 2017 a três anos de prisão, com pena suspensa, por branqueamento e desvio de fundos públicos.

ver mais vídeos