Mundo

Brasil reitera discurso contra intervenção armada na Síria

Brasil reitera discurso contra intervenção armada na Síria

A ministra brasileira dos Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes, reiterou, esta segunda-feira, em Genebra que o Brasil é contra uma intervenção armada estrangeira na Síria, por considerar que a medida não solucionará o conflito.

Em discurso perante o Conselho das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes defendeu que cabe à comunidade internacional "fomentar e apoiar o diálogo e a diplomacia", a ressaltar que o Brasil não apoia qualquer tipo de medida bélica.

A ministra também fez alusão ao termo "responsabilidade ao proteger" - cunhado pela presidente Dilma Rousseff durante um discurso na 66ª Assembleia Geral da ONU, em Setembro do ano passado - em oposição ao conceito "responsabilidade de proteger", com o qual os membros do Conselho de Segurança justificaram a zona de exclusão aérea na Líbia, no ano passado.

"Ao deparar-se com crises e conflitos, a comunidade internacional deve evitar o agravamento das tensões e da violência. A força, a ser empregada em caráter excecional e no marco da Carta das Nações Unidas, não deve causar danos maiores do que aqueles que tenciona evitar", reforçou a ministra perante os representantes da ONU.