Mundo

Britânico infetado com novo vírus associado a complicações respiratórias morreu

Britânico infetado com novo vírus associado a complicações respiratórias morreu

Um doente que tinha sido diagnosticado com um novo vírus associado a complicações respiratórias graves morreu no hospital Queen Elizabeth em Birmingham, centro de Inglaterra, divulgou esta terça-feira a unidade hospitalar.

É a primeira vítima mortal britânica relacionada com esta nova estripe do coronavírus, da mesma família do agente que provoca a pneumonia atípica, doença também conhecida como Síndrome Respiratória Aguda Severa (SRAS).

A nível mundial, o novo vírus já provocou a morte de seis pessoas.

O doente "morreu no domingo de manhã na unidade de cuidados intensivos do hospital", indicou o hospital, num comunicado.

O paciente estava a ser tratado no hospital Queen Elizabeth a "um problema de saúde distinto", com um tratamento a longo prazo, e sofria de um défice imunitário, precisou o mesmo comunicado.

Outros dois membros da família deste doente, originário da região de West Midlands, estão igualmente infetados com o novo vírus e estão a ser tratados no Reino Unido.

"O doente estava comprometido a nível do sistema imunitário e terá contraído o vírus de um familiar que está a ser tratado no hospital de Manchester", indicou a unidade hospital de Birmingham.

O caso de Manchester, noroeste de Inglaterra, foi divulgado publicamente no passado dia 11 de fevereiro pelas autoridades britânicas de saúde pública.

Na altura, a agência britânica de saúde pública, Health Protection Agency (HPA), indicou que o cidadão tinha recentemente viajado pelo Médio Oriente e Paquistão.

De acordo com o jornal britânico "The Guardian", o hospital de Birmingham está a trabalhar em estreita colaboração com a HPA, que está a acompanhar cerca de 100 familiares e contactos mais diretos da vítima.

Até à data, foram identificados 12 casos em todo o mundo relacionados com esta nova estripe do coronavírus.

O novo vírus foi identificado em cinco pessoas na Arábia Saudita, três das quais morreram. Outros dois doentes que estavam hospitalizados na Jordânia também morreram. Foram ainda identificados quatro casos no Reino Unido (uma vítima mortal) e um na Alemanha.

O novo coronavírus foi identificado, pela primeira vez, em setembro de 2012, num doente que morreu em junho do mesmo ano, com uma grave infeção respiratória.

O coronavírus está associado normalmente às comuns constipações, mas também pode desencadear os sintomas da Síndrome Respiratória Aguda Severa.

Em 2003, uma epidemia da doença matou mais de 800 pessoas na China.