Incêndios

Buscas na Grécia quase concluídas sem encontrar novas vítimas

Buscas na Grécia quase concluídas sem encontrar novas vítimas

As equipas de resgate quase concluíram as tarefas de busca de desaparecidos nas zonas arrasadas pelos incêndios na região grega de Atica, sem que tenham encontrado novas vítimas.

O número de mortos mantém-se nos 88, enquanto o das pessoas hospitalizadas baixou para 44, das quais 10 em estado crítico, segundo as últimas informações das autoridades de saúde.

O processo de identificação dos cadáveres prossegue, e, de acordo com a imprensa local, cerca de metade dos corpos foram reconhecidos e os seus familiares foram notificados.

A tarefa tem sido dificultada pelo facto de os corpos estarem carbonizados e por, em alguns casos, os cadáveres estarem unidos, porque as pessoas abraçaram-se perante o avanço das chamas.

Este foi o caso de um grupo de mais de 20 pessoas encontradas num solar entre dois complexos de vivendas na localidade de Mati, estância balnear de muitos atenienses e epicentro da catástrofe.

Até que não esteja concluído o processo de identificação, não se saberá exatamente se ainda há pessoas desaparecidas.

Além do rastreio que está a ser realizado por equipas mistas formadas por bombeiros, militares e voluntários em casas e nas ruas de Mati, mergulhadores da guarda costeira têm feito várias imersões nos últimos dias, sem que tenham aparecido novas vítimas no mar.

Muitas pessoas tentaram salvar-se do fogo atirando-se ao mar, mas algumas morreram afogadas.

A região de Ática e em particular a capital, Atenas, foi atingida por uma tromba de água que transformou as ruas em potentes rios e obrigou a interromper o trânsito em algumas zonas da cidade.

Os bombeiros receberam mais de 300 chamadas de auxílio por casas ou estacionamentos inundados.

À tarde, o trânsito tinha sido restabelecido em toda a cidade.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, assumiu, na sexta-feira, "a responsabilidade política pela tragédia" dos incêndios de segunda-feira no país.

O Governo grego divulgou na quinta-feira uma série de imagens de satélite que apontam que os incêndios foram premeditados.

Em menos de meia hora foram registados treze focos diferentes, todos alinhados paralelamente à estrada, como mostram as fotos e os vídeos dos satélites.

O Governo de Alexis Tsipras pediu ajuda internacional na noite de segunda-feira, tendo já alguns países respondido com meios de apoio.

Portugal disponibilizou 50 elementos da Força Especial de Bombeiros (FEB) para ajudar a combater os incêndios na Grécia, mas que acabaram por não ir porque ter sido desativado entretanto o pedido de auxílio das autoridades gregas ao Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

ver mais vídeos