Ataque

Atropelamento junto a mesquita de Londres fez um morto e dez feridos

Atropelamento junto a mesquita de Londres fez um morto e dez feridos

Uma carrinha atropelou várias pessoas junto a uma mesquita em Finsbury Park, Londres, esta segunda-feira de madrugada. Polícia britânica confirma um morto e dez feridos.

A polícia britânica recebeu um alerta às 00.20 horas desta segunda-feira para um "incidente importante" em Finsbury Park, norte de Londres.

Um homem de 48 anos foi detido depois de uma carrinha branca ter atropelado uma dezena de pessoas que saiam de uma mesquita em Seven Sisters Road. O suspeito foi imobilizado por populares até à chegada da polícia.

Boubou Sougou, 23 anos, que assistiu a tudo, garante que o condutor atingiu deliberadamente as pessoas. "Não foi um acidente, eu vi tudo. Há pessoas feridas com gravidade. O condutor tentou escapar mas as pessoas apanharam-no. Ele não disse nada".

Às 4.46 horas, a polícia britânica confirmou, em comunicado, que um homem morreu no local e será autopsiado. Há ainda a registar dez feridos - oito foram transportados para três hospitais e duas pessoas foram assistidas no local devido a ferimentos ligeiros.

A polícia indicou que o suspeito detido, condutor da carrinha, foi levado ao hospital por precaução e será sujeito a uma avaliação de saúde mental.

Agentes da unidade de polícia de contraterrorismo juntaram-se durante a madrugada aos efetivos em operações no local e lideram a investigação deste incidente.

A primeira-ministra Theresa May indicou que a polícia está a tratar este atropelamento "como um potencial ataque terrorista". E acrescentou: "Vou convocar uma reunião de emergência esta manhã. Os meus pensamentos estão com as vítimas, as suas famílias e os serviços de emergência no local".

Migdaad Versi, dirigente do Conselho Muçulmano Britânico (MCB, na sigla em inglês) disse, no Twitter, que o atropelamento fez pelo menos três mortos e sete feridos. As vítimas tinham saído do Centro de Bem-Estar Muçulmano, situado a cerca de 300 metros da conhecida mesquita de Finsbury Park.

O líder da mesquita de Finsbury Park, Mohammed Kozbar, afirmou ao "The Sun" sem rodeios: "Quem fez isto, fê-lo para magoar pessoas e isso é um ataque terrorista". "Dizemos que é um ataque terrorista, como fizemos no caso de Manchester, Westminster e na Ponte de Londres", frisou.

Uma testemunha contou à SkyNews que havia três homens na carrinha, um foi detido e dois fugiram, mas esta informação não foi oficialmente confirmada. O Evening Standard escreveu que um homem que saiu da carrinha branca esfaqueou pelo menos uma pessoa, citando testemunhas.

A polícia britânica indicou não ter identificado mais nenhum suspeito (além do detido) e não ter registo de nenhuma vítima com ferimentos por esfaqueamento.

Testemunhas no local partilharam imagens nas redes sociais.

Cynthia Vanzella recordou, através do Twitter, a "imagem horrível de ver agentes da polícia a fazer massagens cardíacas a pessoas no chão". Mais tarde, disse ter visto a polícia a remover o corpo de uma vítima mortal.

Um residente na zona relatou à BBC que viu pessoas "a gritar e a chorar".

Outras testemunhas no local revelaram que as vítimas atingidas pela carrinha estavam a auxiliar um homem que tinha desmaiado numa paragem de autocarro.

Desconhece-se ainda a causa/motivação deste incidente, que surge depois de dois ataques terroristas na capital britânica com veículos que atingiram peões. O primeiro ocorreu em Westminster a 22 de março, com um atropelamento e esfaqueamento, no qual seis pessoas morreram e 50 ficaram feridas. O segundo, a 3 de junho, quando uma carrinha atropelou várias pessoas na Ponte de Londres e os três atacantes atacaram em seguida com facas, matando oito pessoas e ferindo 48.

Em Manchester, num ataque suicida à saída do concerto da cantora Ariana Grande, a 22 de junho, morreram 22 pessoas.

Conteúdo Patrocinado