EUA

Centenas de mulheres terão sido abusadas sexualmente por cirurgião

Centenas de mulheres terão sido abusadas sexualmente por cirurgião

Um cirurgião californiano e a namorada são suspeitos de terem atacado sexualmente duas pessoas depois de as terem drogado. Os investigadores acreditam que a dupla será responsável por centenas de casos do género.

Grant William Robicheaux, de 38 anos, e Cerissa Laura Riley, de 31 anos, são suspeitos de terem atacado duas mulheres que conheceram num bar e num restaurante em 2016. Estas não serão, porém, as únicas vítimas da dupla.

Em declarações à BBC, a equipa de procuradores que está responsável pelo caso disse que no telefone do casal foram encontrados "milhares e milhares" de vídeos de potenciais vítimas.

Numa conferência de imprensa, Tony Rackauckas, procurador do distrito de Orange County, nos EUA, explicou que o casal usava a "aparência" bem cuidada e o estatuto do médico para atrair as vítimas com a falsa promessa de segurança. "Há vários vídeos em que as mulheres parecem estar altamente intoxicadas e sem capacidade para resistir e mal respondem aos avanços sexuais dos suspeitos", disse, em entrevista ao "KTLA-TV". "Com estas provas, acreditamos que há mais vítimas que ainda não foram identificadas", acrescentou.

Os investigadores que estão a tratar do caso acreditam que o casal trabalhava em conjunto para encontrar as mulheres em bares, drogando-as e coagindo-as a beber grandes quantidades de álcool. As vítimas eram depois levadas para o apartamento do médico onde acabavam por ser atacadas. Numa busca efetuada a casa de Grant William Robicheaux, as autoridades encontraram um elevado número de drogas ilegais.

Se as suspeitas se confirmarem, os dois podem passar entre 30 a 40 anos na cadeia. O casal vai ser levado a tribunal no dia 24 de outubro.

ver mais vídeos