EUA

Condenada a pena de prisão por incentivar suicídio do namorado

Condenada a pena de prisão por incentivar suicídio do namorado

Uma jovem norte-americana vai cumprir pena de prisão por ter enviado mensagens de texto a encorajar o suicídio do namorado, que acabou por pôr termo à vida em 2014, determinou o Supremo Tribunal do Estado do Massachusetts, EUA.

Um juiz do tribunal de Tanton, no Massachusetts, ordenou na segunda-feira que Michelle Carter, 22 anos, iniciasse o cumprimento de uma pena de prisão, depois de, na última semana, o supremo ter recusado o recurso interposto, após condenação em 2017, por homicídio involuntário.

Nesse ano, o juiz tinha determinado que o conteúdo das mensagens de texto que Michelle enviou a Conrad Roy III encorajaram o jovem a tirar a própria vida. O Supremo Tribunal concordou com a decisão e determinou o cumprimento de 15 meses de prisão, de uma pena inicial de dois anos e meio.

O caso remonta a 12 de Julho de 2014, quando o namorado, de 18 anos, se fechou numa carrinha para inalar o monóxido de carbono de um gerador, seguindo uma sugestão de Michelle, com 17 anos na altura. "É bom que não estejas a brincar comigo a dizer que o vais fazer e depois seres apanhado de propósito", disse a jovem numa das mensagens que enviou dias antes do suicídio.

Na mesma sequência de mensagens, a suspeita explicou-lhe que, por intoxicação com monóxido de carbono, iria desmaiar e morrer em meia hora. "É indolor e rápido", escreveu.

Segundo a acusação, Conrad, que sofria de depressão, ainda chegou a abandonar a carrinha quando se começou a sentir mal, mas a adolescente convenceu-o a voltar a entrar, durante um telefonema que demorou 47 minutos.

"A família Roy está satisfeita por encerrar esse aspeto", disse em comunicado o advogado da família, Eric S. Goldman. A família continua à espera de uma indemnização por danos e espera estabelecer um fundo em nome do filho para educar as pessoas sobre a prevenção do suicídio.