Mundo

Criança de 12 anos complementa teoria de Einstein

Criança de 12 anos complementa teoria de Einstein

Um estudante norte-americano de 12 anos pretende criar uma versão "mais elaborada" da Teoria da Relatividade, de Albert Einstein. Jacob Barnett tem QI de 170 pontos, mais 10 que os 160 do criador da fórmula E=mc2, e cativou a atenção de professores universitários dos Estados Unidos pela sua rara inteligência. Veja o vídeo.

Jacob Barnett teve uma infância diferente dos demais colegas de escola. O pré-adolescente de Indiana, EUA, que tem aulas de astrofísica regularmente desde os oito anos, sofre da síndrome de Asperger, uma variação do autismo, e sempre se interessou por cálculos complexos de álgebra e pelo desenvolvimento de novos modelos para o estudo de trigonometria e geometria variáveis. Questões difíceis até para adultos.

Kristine Barnett, mãe do menino, não sabia, no início, se as conversas do filho sobre física e matemática eram disparates ou se a criança se tratava de um génio. Na dúvida, a mãe gravou um vídeo e enviou para professores da prestigiada Universidade de Princeton, Nova Jérsia, que ficaram impressionados com a inteligência do miúdo.

Para a mãe de Jacob, Kristine, de 36 anos, e o resto da família, matemática e física sempre foram assuntos complicados.

"Eu chumbaria em matemática. Sei que isto não vem de mim", disse a mãe de Jacob ao "Indiana Star", sem perder a boa disposição.

No seu projecto mais ambicioso, Jacob pretende criar uma versão "mais elaborada" da Teoria da Relatividade, que substitui os conceitos independentes de espaço e tempo pela ideia de espaço-tempo como uma entidade geométrica. Einstein tinha 26 anos quando publicou a sua teoria, sintetisada na fórmula E=mc2.

Os estudos do menino prodígio na Universidade de Indiana estão a evoluir de tal maneira que os professores estão a prepará-lo para uma tese de doutoramento.

Jacob está no caminho certo para criar "algo completamente novo", avançou o Instituto de Estudos Avançados de Princeton, casa de génios como Albert Einstein, John von Neumann e Kurt Gödel.

"Estou impressionado com o interesse de Jacob em física e a quantidade de coisas que já aprendeu até agora. A teoria em que está a trabalhar envolve alguns dos problemas mais complicados de física teórica e da astrofísica", observou o professor de astrofísica Scott Tremaine, num e-mail endereçado à família Barnett.

O professor sublinhou, ainda, que "qualquer um que resolva o problema em que Jacob está a trabalhar é candidato a ganhar um prémio Nobel".