Espanha

Julen morreu devido à queda no poço e não com as operações de resgate

Julen morreu devido à queda no poço e não com as operações de resgate

Julen, a criança de dois anos de Totalán, Málaga, faleceu após a queda no poço e não por causa das operações de salvamento, concluem os médicos que realizaram a autópsia definitiva. O menino morreu minutos depois de cair no buraco, pelas 13.50 horas, no dia 13 de janeiro.

De acordo com o relatório da autópsia, o tempo de sobrevivência de Julen "foi curto". Portanto, criança esteve sem vida, durante 13 dias, no local de difícil acesso. Só a 25 de janeiro foi possível resgatá-lo.

Chegou a equacionar-se a hipótese de a criança ter sofrido ferimentos por causa da utilização de uma picareta por parte dos bombeiros. Mas o documento vem desfazer essa suspeita.

Por um lado, porque esta foi utilizada horas depois, pelas 17 horas, por outro, "não se observaram fraturas no plano superior da abóbada craniana" e o golpe existente na cabeça está num parte lateral, o que torna impossível que esse instrumento pudesse atingir esse lado da cabeça.

O dono da propriedade que tinha, através dos seus advogados, levantado tal hipótese, vai ter de responder por homicídio por negligência.

Julen caiu num furo de prospeção de água enquanto a sua família preparava o almoço e, durante alguns dias, ainda se alimentou a esperança de que pudesse estar vivo.