Canadá

Descoberto campo de cultivo de batatas com 3800 anos

Descoberto campo de cultivo de batatas com 3800 anos

Restos de batatas com 3800 anos descobertos no Canadá são "a primeira prova" de que as populações autóctones da América do Norte já cultivavam o tubérculo.

O batatal, descoberto nas terras ancestrais da tribo Katzie, hoje pertencentes à província canadiana de Colúmbia Britânica, constitui "a primeira prova" de agricultura por parte dos povos caçadores-recolectores da região durante esse período, segundo um estudo publicado na edição de dezembro da revista "Science Advances".

Os autores do trabalho, coordenado por Tanja Hoffmann e por arqueólogos da Universidade Simon Fraser, concluíram que as populações indígenas da região do noroeste Pacífico tinham aproveitado áreas pantanosas para aumentar a produção daquelas plantas alimentares selvagens.

A tribo local colocou provavelmente pedras para delimitar o terreno cultivado e impulsionar o crescimento dos "wapatos", o equivalente às atuais batatas.

Os investigadores encontraram também 150 fragmentos de utensílios moldados pelo fogo no local da escavação, que pensam ser as pontas de ferramentas que serviam para lavrar a terra.

O equivalente antigo da batata, que crescia entre outubro e fevereiro, era para as tribos indígenas uma importante fonte de amido durante os meses de inverno.

As escavações puseram a descoberto 3768 "wapatos", também conhecidos como "batatas indianas".

"Os restos que encontrámos estavam castanhos-escuros ou enegrecidos e, apesar de apenas a face exterior ter sobrevivido na maioria dos espécimes, alguns continham igualmente polpa no interior", refere o estudo.