Europol

Desmantelada rede cibercriminosa que tentou roubar 89 milhões de euros

Desmantelada rede cibercriminosa que tentou roubar 89 milhões de euros

Foi desmantelada uma rede internacional de cibercrime que usou "malware" (código malicioso) para tentar roubar cerca de 100 milhões de dólares - 89,3 milhões de euros - de milhares de vítimas, anunciou a Europol em comunicado, esta quinta-feira.

A rede criminosa usava o malware "GozNym" para se infiltrar em empresas e instituições financeiras e roubar as credenciais de login do sistema bancário online. Invadiram mais de 41 mil contas bancárias para lavar o dinheiro usando contas bancárias dos EUA e de outros países.

Dez membros da rede são acusados de conspiração para roubar credenciais para acesso fraudulento a contas bancárias por um júri federal em Pittsburg, EUA. Cinco deles - cidadãos russos - continuam em fuga, incluindo o responsável pelo "malware".

Os réus foram alegadamente recrutados após anunciar as suas habilidades técnicas e serviços especializados em fóruns criminosos online de língua russa.

De acordo com o comunicado da Europol, a operação internacional contra a rede começou em novembro de 2016 com uma investigação liderada pela Alemanha para desmantelar os servidores e a infraestrutura. Desde então, foram realizadas buscas na Bulgária, Geórgia, Moldávia e Ucrânia.

O líder da rede e o assistente técnico estão a ser processados na Geórgia, enquanto o administrador da rede "Avalanche" - que prestou serviços a mais de 200 cibercriminosos e hospedou mais de 20 campanhas diferentes de "malware", incluindo a "GozNym" - é processado na Ucrânia.

Outro membro da rede que codificou o "malware" para evitar a deteção por ferramentas antivírus e software de proteção dos computadores das vítimas está a ser processado na Moldávia.

No comunicado, a Europol informa que "a rede 'GozNym' exemplificou o conceito de 'cibercrime como serviço', com diferentes serviços criminais, como 'hosters' [administradores] à prova de bala, redes de dinheiro, 'crypters' [criptografia], 'spammers' [propaganda online], codificadores, organizadores e suporte técnico".

Imobusiness