Brasil

Detidos oito funcionários de empresa responsável por barragem em Brumadinho

Detidos oito funcionários de empresa responsável por barragem em Brumadinho

Oito funcionários da mineradora brasileira Vale foram detidos, esta sexta-feira, numa operação do Ministério Público de Minas Gerais, acusados de envolvimento na rutura da barragem na cidade de Brumadinho, que provocou 163 mortos.

Quatro gerentes e quatro técnicos diretamente envolvidos na segurança e estabilidade da barragem em Brumadinho são os alvos dos mandados de prisão.

Segundo informações divulgadas pelas autoridades judiciais brasileiras, os funcionários da Vale ficarão detidos por 30 dias e serão ouvidos pelo Ministério Público em Belo Horizonte. Além dos crimes de homicídio qualificado, os funcionários poderão responder por crimes ambientais e falsidade ideológica.

Estão a ser cumpridos outros 14 mandados de busca e apreensão em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Também são alvos das buscas funcionários da empresa alemã Tüv Süd, que prestaram serviços de estabilização da barragem de Brumadinho.

"Os documentos e provas apreendidos serão encaminhados ao Ministério Público do estado de Minas Gerais para análise", refere-se numa nota emitida pelo Ministério Público de Minas Gerais.

O desastre em Brumadinho ocorreu a 25 de janeiro, quando uma das barragens nas quais a empresa mineira Vale armazenava resíduos rebentou, provocando uma avalanche de lama que soterrou as instalações da própria empresa e centenas de propriedades rurais.

A barragem que colapsou foi feita através do método de alteamento a montante, no qual se constroem degraus com os próprios resíduos, sendo o método mais simples e também o menos seguro.

Essa foi também a técnica de construção usada na barragem da empresa Samarco, uma 'joint-venture' da Vale e da BHP Billion, que rebentou em 2015, na cidade de Mariana, igualmente no estado de Minas Gerais, onde, aliás, se encontra a maior concentração deste tipo de estruturas, e que provocou 19 mortos.