Mundo

Duas polícias da ONU encontradas mortas em casa

Duas polícias da ONU encontradas mortas em casa

Duas polícias do contingente das Nações Unidas no Haiti foram encontradas mortas na sua residência em Cap-Haitien, a segunda maior cidade do país, situada no norte da ilha, anunciou quarta-feira à noite a ONU.

Num comunicado, a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah) indica que os corpos das duas mulheres-polícia foram encontrados de manhã e que, em conjunto com a polícia haitiana, foi já aberto um inquérito para averiguar as circunstâncias das mortes, sobretudo se foram assassinadas ou se ambas se suicidaram.

Não foi revelada a nacionalidade das duas vítimas - o contingente da ONU no Haiti conta com efetivos de 45 países.

A missão da ONU no Haiti foi destacada em abril de 2004, na sequência da partida para o exílio do até então presidente Jean-Bertrand Aristide.

Os efetivos militares, policiais e civis da Minustah foram reforçados após o sismo de 12 de janeiro de 2010, que causou a morte de mais de 200 mil pessoas, entre eles 102 elementos da própria missão, vítimas do aluimento do quartel-general do contingente em Port-au-Prince.

Atualmente, a Minustah conta com 2.370 militares, 2.600 polícias e cerca de 1.500 civis, na maioria estrangeiros.

Conteúdo Patrocinado