Brasil

Eduardo fritou hambúrgueres. Vai ser embaixador

Eduardo fritou hambúrgueres. Vai ser embaixador

Eduardo Bolsonaro fritou hambúrgueres no estado do Maine; no Colorado, aprimorou o inglês. Por isso, o deputado considera-se habilitado para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos, cargo que o pai, Jair - presidente do Brasil, que, pelos vistos, considera as "qualificações" suficientes -, lhe ofereceu. Precisamente no dia em que o seu terceiro filho fez 35 anos (idade mínima para ocupar o cargo), a 10 deste mês. Os dez dias que se seguiram alimentaram-se a críticas, troca de argumentos, ultraje e indignação.

"Pretendo beneficiar um filho meu, sim. Pretendo, está certo. Se puder dar um "filet mignon" ao meu filho, eu dou. Mas essa história aí não tem nada a ver com "filet mignon". É aprofundar um relacionamento com um país que é a maior potência económica e militar do Mundo". O chefe de Estado disse isto sem se rir.

De qualquer modo, a atual presidência do país mais não faz do que seguir a tradição enraizada em nações de "fortes" convicções democráticas, como são os casos notórios de Arábia Saudita, Coreia do Norte, Chade, Arménia e Cazaquistão, onde o estatuto de parente do poder é condição suficiente para a vida diplomática.

Leia mais na edição impressa ou na versão e-paper