China

Educadora tentou envenenar 23 crianças em infantário

Educadora tentou envenenar 23 crianças em infantário

A polícia chinesa deteve, esta terça-feira, uma educadora de infância suspeita de envenenar deliberadamente 23 crianças num infantário no leste da China, em mais um ataque no país contra menores.

Identificada como Wang, a professora terá adulterado a comida das crianças com nitrito de sódio, revelou a polícia da cidade de Jiaozuo.

A exposição àquela substância tóxica pode ser fatal.

A polícia disse que ainda não aclarou o motivo do incidente, ocorrido na semana passada.

Crianças em idade escolar têm sido alvo de ataques na China, muitas vezes fatais, normalmente protagonizados por pessoas com problemas psicológicos ou ressentimentos com a sociedade.

No início deste ano, 20 crianças ficaram feridas num ataque perpetrado por um homem numa escola primária em Pequim.

Em abril de 2018, um homem armado com uma faca matou sete estudantes e feriu 19, quando os jovens regressavam a casa, no norte do país.

A lei chinesa proíbe rigorosamente a venda e posse de armas de fogo, pelo que os ataques são geralmente feitos com facas, explosivos de fabrico artesanal ou por atropelamento.

O último caso de envenenamento remonta a 2002, quando 42 pessoas, a maioria crianças em idade escolar, morreram na cidade de Nanjing, leste do país.

O assassino, que alegadamente tinha inveja do negócio próspero do seu concorrente, foi rapidamente condenado à pena de morte e executado.