Inglaterra

Enganou radar com laser e vai passar três meses na prisão

Enganou radar com laser e vai passar três meses na prisão

Um condutor britânico foi esta segunda-feira condenado a três meses de prisão e a uma multa, depois de ter instalado no carro um laser que impediu o registo de velocidade por um radar.

O caso teve início em fevereiro, quando o BMW Série 3 de Michael Twizell foi fotografado em excesso de velocidade na A658, em Inglaterra. O operador do radar estranhou o erro devolvido pelo sistema, que não conseguiu registar o caso.

A polícia do Norte de Yorkshire abriu uma investigação e conseguiu perceber que o condutor tinha instalado um sistema laser junto à matrícula do carro, interferindo com o sinal que deteta a velocidade a que o carro segue.

Esta segunda-feira, o tribunal de York condenou o homem a três meses de prisão e a pagar uma multa de 1500 libras (cerca de 1700 euros), por "interferir com o curso da Justiça".

A polícia tem o "dever de nos proteger de carros em excesso de velocidade" e o aparelho utilizador por Twizell interferiu com esse dever, explicou o juiz que aplicou a sentença. Salientando que se trata de um caso grave, um agente da polícia de trânsito local aconselhou todos os condutores a retirarem o aparelho se o tiverem instalado no carro, já que correm o risco de serem condenados a penas de prisão.