Nova Zelândia

Equipa de críquete do Bangladesh escapa ao ataque por minutos

Equipa de críquete do Bangladesh escapa ao ataque por minutos

A equipa de críquete do Bangladesh salvou-se por poucos minutos dos disparos mortíferos de um atacante, esta sexta-feira, na mesquita Al-Noor, em Christchurch, na Nova Zelândia.

O ataque terrorista de Christchurch podia contabilizar mais vítimas caso a equipa de críquete do Bangladesh não se atrasasse para as orações de sexta-feira. Os jogadores encontravam-se a 50 metros da mesquita quando o ataque aconteceu e os disparos começaram. "Se estivéssemos lá cinco minutos antes, teria sido pior", escreveu o batedor Tamim Iqbal Khan.

Outro batedor da equipa, Mushfiqur Rahim, escreveu no Twitter que não quer voltar a presenciar coisas como estas e que a equipa teve imensa sorte.

A equipa ficou retida dentro do autocarro. Ao verem pessoas feridas, os jogadores optaram pela fuga a pé. Atravessaram o Parque Hagley até ao hotel onde estavam alojados. "Apercebemo-nos que os atiradores poderiam causar muito mais danos se nos apanhassem todos juntos dentro do autocarro. Tomámos a decisão de escapar pelo portão das traseiras da mesquita", conta Khaled Mashud, o diretor da equipa à BBC.

Os membros da equipa atrasaram-se para as orações devido a uma conferência de imprensa, no Oval Hagley, o recinto onde estava previsto um torneio, agora cancelado, onde a equipa ia jogar este sábado.

A equipa de críquete do Bangladesh esteve em digressão pela Nova Zelândia, porém irá regressar a casa nos próximos dias.

Pelo menos 49 pessoas morreram e 20 ficaram feridas num ataque a duas mesquitas na Nova Zelândia. Governo diz que é um ataque terrorista. Quatro suspeitos foram detidos.

Um homem que se identificou como Brenton Tarrant, de 28 anos, nascido na Austrália, reivindicou a responsabilidade pelos disparos e transmitiu em direto na Internet o momento do ataque.

Imobusiness