Síria

Erdogan diz que Turquia não tem "força ou capacidade" para acolher mais refugiados

Erdogan diz que Turquia não tem "força ou capacidade" para acolher mais refugiados

O presidente da Turquia referiu esta sexta-feira em Teerão que o seu país já não tem "a força ou capacidade" para acolher milhões de refugiados de Idleb, norte da Síria e junto à fronteira comum.

Recep Tayyip Erdogan considerou esta sexta-feira - no decurso de uma cimeira tripartida em Teerão com os seus homólogos iraniano, Hassan Rohani, e russo, Vladimir Putin, sobre a situação na Síria -, que o apelo dirigido aos "grupos terroristas" em Idlib para abandonarem as armas foi uma forte mensagem para estas formações e vai ajudar a travar o fluxo de refugiados.

"Temos de adotar medidas comuns para impedir a migração, precisamos de ter sucesso no combate contra o terrorismo", disse Erdogan.

"A Turquia já acolhe 3,5 milhões de refugiados [da Síria]. A população de Idleb é de 3,5 milhões. A Turquia não tem a força ou capacidade para receber mais 3,5 milhões", acrescentou.

A situação em Idleb foi o tema de uma cimeira entre os líderes da Rússia, Irão (aliados do regime sírio) e Turquia (apoiante dos rebeldes) que já terminou em Teerão.

Rohani, Putin e Erdogan reuniram-se num centro de congressos no norte da capital iraniana numa altura em que a comunidade internacional tem os olhos postos em Idleb, temendo um desastre humanitário face a uma iminente ofensiva das forças pró-governamentais.

A cimeira em Teerão pode determinar se a diplomacia suspende qualquer ação militar em Idleb e zonas circundantes, onde vivem mais de três milhões de pessoas, quase metade das quais são civis deslocados de outras zonas da Síria.

Na área encontrar-se-ão também cerca de 10 mil jihadistas.

Mais de 350 mil pessoas morreram e milhões foram obrigadas a deixar as suas casas desde o início da guerra da Síria em 2011.

ver mais vídeos