Mundo

Espanha desiste de venda de 400 bombas à Arábia Saudita

Espanha desiste de venda de 400 bombas à Arábia Saudita

Espanha desistiu de uma venda de 400 bombas guiadas por laser à Arábia Saudita, envolvida na guerra no Iémen, anunciou, esta terça-feira, o Ministério da Defesa.

Trata-se da confirmação de uma informação da rádio Cadena SER e ocorre após ataques aéreos no Iémen em agosto, que mataram mais de 66 crianças.

Segundo a Cadena SER, o governo do socialista Pedro Sanchez, que chegou ao poder em junho, iniciou em julho o processo para anular o contrato assinado com Riade no verão de 2015 pelo seu predecessor conservador.

Os 9,2 milhões de euros já pagos pelas 400 bombas guiadas por laser vão ser devolvidos à Arábia Saudita, indicou a rádio.

"A Defesa confirma a informação divulgada pela Cadena SER", disse hoje o ministério por correio eletrónico à agência France-Presse, sem mais comentários.

O anúncio foi feito na altura em que a secretária de Estado do Comércio, Xiana Mendez, da qual dependem os contratos de armas, recebia organizações não-governamentais que estão contra a venda de armas a Riade, como a Amnistia Internacional, a Oxfam e a Greenpeace.

Estas organizações receiam que as armas possam ser utilizadas no Iémen, onde a guerra, iniciada em 2014, causou cerca de 10.000 mortos, sobretudo civis, e a pior crise económica do mundo, segundo a ONU.

A Arábia Saudita dirige a coligação internacional que apoia desde 2015 as forças governamentais do Iémen contra os rebeldes Huthis.

Em agosto, um ataque aéreo daquela coligação matou 51 pessoas, entre as quais 40 crianças em Dahyan, na província de Saada, feudo dos rebeldes xiitas no norte do Iémen.

Riade reconheceu no sábado "erros" naquele bombardeamento, afirmando que tinha como alvo um autocarro que transportava rebeldes.

Em abril, durante uma visita do príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman a Espanha, Riade e Madrid assinaram um protocolo de acordo para a compra pela Arábia Saudita de cinco navios de guerra por cerca de 1,8 mil milhões de euros.

Segundo dados do executivo, a Espanha exportou material de defesa no valor de 4,35 mil milhões de euros em 2017. Desse total, 270 milhões couberam à Arábia Saudita.