Entrevista

"Espero que o Papa faça uma refeição vegana comigo", diz ativista de 12 anos

"Espero que o Papa faça uma refeição vegana comigo", diz ativista de 12 anos

Há algumas semanas, a ativista norte-americana Genesis Butler, de 12 anos, escreveu uma carta ao Papa a pedir-lhe que celebrasse a Quaresma com uma dieta vegana. Francisco respondeu, mas já tem um novo desafio: "Espero que faça uma refeição comigo", disse Genesis em exclusivo ao JN.

A jovem ativista viajou da Califórnia até Roma para convidar o Papa a associar-se à Campanha Million Dollar Vegan, que prometeu doar um milhão de dólares a uma instituição escolhida pelo líder da Igreja Católica se este se comprometer a fazer refeições compostas exclusivamente por alimentos vegetais, pondo de parte todos os produtos de origem animal, durante os 40 dias da Quaresma - o período que antecede a Páscoa cristã, durante o qual os fiéis fazem abstinência ao consumo de carne à sexta-feira.

Genesis foi recebida no Vaticano pelo padre Pawel Ptasznik, com quem conversou sobre a iniciativa. "Foi um privilégio e uma honra visitar o Vaticano. Gostei muito de conhecer o padre Ptasznik e falei com ele sobre o meu amor pelos animais e a nossa responsabilidade de protegê-los e ao planeta. Discutimos a terrível devastação causada pela pecuária e ele respondeu: 'Somos todos responsáveis pela nossa Terra. Eu concordo com as tuas palavras'", afirmou a norte-americana ao JN.

A menina de 12 anos, vegana desde os seis, contou ainda que recebeu uma resposta e aproveitou para lançar um novo convite: "Também estou feliz que o Papa Francisco tenha confirmado a receção da minha carta por escrito, mas espero que aceite seguir uma dieta vegana durante a Quaresma e que concorde em encontrar-se comigo para uma refeição vegana, para que possamos discutir a minha carta com mais pormenor", explicou.

A resposta do Papa, assinada pelo assessor para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado do Vaticano, Paolo Borgia, diz: "A Sua Santidade, o Papa Francisco, recebeu a sua carta e pediu-me que lhe agradecesse. Ele valoriza as preocupações acerca do cuidado com o mundo, a nossa casa comum, que a levaram a escrever-lhe. O Santo Padre lembrar-se-á de si nas suas orações e enviar-lhe-á a sua bênção".

Questionada sobre qual é o grande objetivo da campanha, Genesis respondeu que é "muito importante" para ela, porque acredita que "pode ter um impacto enorme no mundo e ajudar a melhorar o planeta". "O objetivo é fazer com que o Papa Francisco se torne vegano pela Quaresma, mas também estamos a celebrar as muitas vitórias conquistadas ao longo do caminho, incluindo as mais de 80 mil pessoas que assinaram a nossa petição e se comprometeram a experimentar o veganismo", acrescentou a ativista. A petição continua aberta e tem como objetivo chegar às 150 mil assinaturas.

A jovem, que faz ativismo "há alguns anos", acredita que "usar a voz" pode "ajudar a melhorar o mundo". "Já pratiquei várias formas de ativismo no passado, incluindo a realização de uma palestra TEDx, e fiquei entusiasmada por me juntar à equipa da campanha Million Dollar Vegan para ajudar a partilhar a nossa mensagem com uma audiência global", disse.

Apesar de ter começado uma dieta vegana muito cedo, Genesis revela que foi uma experiência "espetacular". "Assim que descobri como os produtos de origem animal eram feitos, não quis ter mais nada a ver com eles. Tem sido especialmente bom porque na Califórnia, onde vivo, tenho acesso a muitas opções veganas económicas e deliciosas", contou, acrescentando que os pais sempre a "apoiaram muito" e que "também começaram a incorporar produtos veganos na sua dieta". "Agora, toda a minha família é vegana", afirmou.

Sobre as perspetivas de futuro, a ativista diz acreditar que "o veganismo vai continuar a tornar-se a nova norma mundial porque faz mais sentido para o ambiente, para os animais e para a saúde". "Além disso, cada vez mais opções veganas deliciosas estão a surgir por todo o lado, hoje em dia", concluiu Genesis.

Campanha com "resultados excelentes em Portugal"

O movimento Million Dollar Vegan surgiu graças à iniciativa de Matthew Glover e Jane Land, os cofundadores da campanha britânica de grande sucesso Veganuary, que incentiva as pessoas a seguir uma dieta vegana durante o mês de janeiro, de forma a promover e educar sobre esse estilo de vida. A Genesis Butler juntou-se uma equipa de ativistas de todo o mundo, desafiando líderes mundiais a participar ativamente no diálogo sobre as alterações climáticas e a sua relação com a indústria pecuária.

Portugal é um dos 15 países que se associaram à iniciativa, "numa forma totalmente adaptada à cultura e às preocupações do público português". "A nossa estratégia prende-se a duas principais ações que têm sido desenvolvidas em paralelo, desde o lançamento da campanha a 6 de fevereiro: o apelo feito ao Papa Francisco e divulgação de todas e quaisquer novidades respetivas à Sua Santidade; e o trabalho de conscientização da população em geral para os danos causados ao planeta, aos animais e à saúde humana pela indústria pecuária e pelo consumo de produtos de origem animal", explicou a gestora da campanha em Portugal, Rita Parente.

"A campanha tem tido resultados excelentes em Portugal desde o primeiro dia, medidos através da análise da interação nas redes sociais da campanha, das visitas ao site provenientes do nosso país e dos downloads do nosso 'Kit de Iniciação ao Veganismo' criado especificamente para Portugal", acrescentou a participante.

Rita Parente nota que "o impacto de cada país participante sobre o desafio lançado ao Papa relaciona-se com a cobertura mediática garantida a cada momento da campanha" e que, uma semana após o lançamento, "contavam-se mais de 500 artigos e notícias em 43 países". "Portugal é um dos países participantes com menor número de habitantes e, ainda assim, os números apontam para que tenhamos tido um impacto considerável no desenvolvimento da campanha. Contamos também com o apoio de celebridades portuguesas como Rita Blanco, Ana Galvão, António Raminhos e Isabel Silva, entre outros, e a eurodeputada Marisa Matias assinou uma declaração conjunta de apoio à campanha redigida por Stefan Eck e assinada por 40 eurodeputados", lembrou.

Questionada sobre qual o futuro desta dieta no país, Rita acredita que "é seguro esperar que este tipo de iniciativas, bem como o veganismo enquanto movimento social e estilo de vida, venham a assumir uma presença cada vez mais evidente".

"A população está cada vez mais consciente dos dados que nos são avançados por cientistas e investigadores de renome - a pecuária está a provocar um rol de graves problemas para o nosso planeta e, neste momento, os benefícios da adoção de uma dieta à base de plantas já não são uma questão de opinião, mas sim uma questão de factos. Existe um sentimento crescente de responsabilidade coletiva que está a levar cada vez mais portugueses a mudar de estilo de vida", garantiu.

Rita aponta ainda que em 2017 contavam-se 120 mil vegetarianos, dos quais 60 mil são veganos, em Portugal. "Imaginamos que esse número tenha aumentado exponencialmente, desde então. Se olharmos para as tendências de mercado, o futuro parece muito promissor: cada vez mais restaurantes vegetarianos e veganos, cada vez mais produtos 100% vegetais garantem distribuição a nível nacional e existe uma procura cada vez maior por workshops, palestras e ações que promovam a exclusão dos produtos de origem animal das nossas dietas", concluiu.