EUA

Ex-médico condenado a 60 anos de prisão por posse de pornografia infantil

Ex-médico condenado a 60 anos de prisão por posse de pornografia infantil

Larry Nassar, antigo médico da equipa de ginástica dos Estados Unidos, acusado de ter violado sete jovens, foi condenado a 60 anos de prisão, por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.

A informação foi avançada pelo jornal local "Lansing State Journal", que cita a juíza do tribunal da cidade de Grand Rapids, no Michigan. Janet Neff defendeu que ficou demonstrado que Nassar, de 54 anos, não pode estar em contacto com crianças, depois de terem sido encontradas mais de 37 mil imagens e vídeos de pornografia infantil no seu computador.

Esta é a primeira condenação do antigo médico da equipa de ginástica dos Estados Unidos, que ainda enfrenta outro processo por abuso sexual de menores no Michigan.

Em 22 de novembro, Larry Nassar admitiu ter violado várias jovens atletas (três delas medalhadas olímpicas) enquanto trabalhava para a equipa de ginástica dos Estados Unidos e para a Universidade do Michigan.

O profissional foi formalmente acusado de molestar sete raparigas, a maioria das quais na clínica do campus universitário do Michigan e na sua área de residência, em Lansing.

Em audiência, no tribunal de Ingham, Nassar reconheceu ter "penetrado manualmente" as vítimas e assumiu que a sua conduta não tinha qualquer propósito médico, nem foi consentida pelas raparigas.

O Ministério Público pediu uma pena mínima de prisão de 25 anos, mas o juiz pode determinar que esta chegue aos 40.

Paralelamente, Nassar está a ser acusado de crimes similares em Eaton County, localidade de um clube de ginástica de elite.