NATO

F-16 portugueses substituem caças espanhóis após disparo de míssil

F-16 portugueses substituem caças espanhóis após disparo de míssil

F-16 portugueses e Mirage franceses substituíram os Eurofighters espanhóis na missão de policiamento aéreo no Báltico, na sequência do disparo acidental de um míssil nos céus da Estónia, a cerca de 100 quilómetros da fronteira russa, durante um exercício, na última terça-feira.

Segundo o jornal "El Pais", a NATO está a investigar o incidente ocorrido durante um exercício, mas tudo indica que se tratará de um "erro humano". Ainda assim, enquanto não existem conclusões definitivas sobre ao caso, Portugal (que lidera neste momento a missão da NATO no Báltico) e França vão assegurar as missões destinadas aos militares espanhóis.

Sobre as causas do acidente, ainda há muito por explicar, já que não foi detetado qualquer erro no software do avião, mas o lançamento manual de um míssil depende de uma lista de procedimentos, pelo que o seu lançamento acidental seria pouco provável. Ainda assim, o jornal espanhol salienta o facto de o experiente piloto não ter definido um alvo, o que poderia ter causado um impacto com outro avião que participava nas manobras.

Caso está a gerar desconforto na Estónia

"Transmiti a Jens Stoltenberg que é um incidente grave e que estamos logicamente preocupados", afirmou Jüri Ratas, primeiro-ministro da Estónia, citado num comunicado do executivo de Talin, após uma conversa telefónica com o secretário-geral da NATO. Durante o contacto com Stoltenberg, o chefe do governo estónio lembrou que "felizmente ninguém ficou ferido" e pediu que as circunstâncias deste incidente ocorrido no espaço aéreo da Estónia sejam "esclarecidas sem demora".

"A missão da NATO contribui de forma importante na segurança da Estónia e de toda a aliança", prosseguiu Jüri Ratas, referindo ainda ter tido garantidas por parte de Jens Stoltenberg de que todos os aliados envolvidos nas manobras vão investigar o ocorrido.

O Ministério da Defesa de Espanha informou na terça-feira que o incidente em questão tinha envolvido um Eurofighter espanhol que realizava manobras de treino com aparelhos franceses na zona sudoeste da Estónia, área autorizada para este tipo de exercícios militares, e que o caça espanhol teria disparado acidentalmente um míssil ar-ar.

Os aparelhos que participavam nos exercícios regressaram posteriormente à base aérea de Siauliai, na Lituânia, indicou o ministério espanhol, que abriu, entretanto, uma investigação para esclarecer as causas do incidente.

ver mais vídeos