Mundo

Mais um sismo de grande intensidade causa destruição em Itália

Mais um sismo de grande intensidade causa destruição em Itália

O sismo que abalou esta manhã de domingo a região da Úmbria, no centro de Itália, teve uma magnitude 6,1 na escala Richter. Não há registo de vítimas mortais.

O Instituto Nacional de Vulcanologia tinha informado inicialmente que o terramoto teve uma magnitude de 7,1.

O sismo, com profundidade de 10 quilómetros, ocorreu às 7.44 horas (6.44 em Portugal continental) e fez derrubar várias casas afetadas por sismos anteriores.

A Proteção Civil italiana disse não ter até ao início da manhã registos de vítimas mortais no terramoto que provocou derrubamentos de casas e feridos. "No momento, não temos nenhuma informação sobre vítimas mortais. Há feridos e nós estamos no local a verificar", afirmou aos jornalistas o chefe da Proteção civil, Fabrizio Curcio, em Rieti, uma cidade localizada próxima do epicentro.

Segundo Curcio, o sismo fez "várias dezenas de feridos ligeiros, com exceção de uma pessoa (...) que se encontra em estado mais grave".

Só haver feridos ligeiros e não haver vítimas mortais é "uma boa notícia", disse a uma rádio italiana o presidente da Câmara de Amatrice, cidade que foi devastada no passado dia 24 de agosto por um violento sismo, que provocou mais de 250 mortos.

Já o presidente da Câmara de Ussita, Marco Rinaldi, relatou aos meios de comunicação local: "Caiu tudo, vejo colunas de fumo, é um desastre, um desastre!"

Vários média relatam que foram retiradas pessoas com vida dos escombros, seis das quais em Norcia, cidade localizada a seis quilómetros do epicentro, e três em Tolentino.

Além de ter causado vários derrubamentos de casas já afetadas por sismos anteriores, o sismo destruiu a Basílica de São Bento, em Núrsia, e levou ao corte de muitas estradas no centro de Itália.

Segundo a imprensa local, citada pela agência espanhola de notícias Efe, o sismo causou medo entre a população das regiões de Úmbria e de Las Marcas e provocou novos deslizamentos de terra, atingindo construções já danificadas por outros terramotos.

O terremoto também foi sentido com intensidade em outras cidades italianas como Florença ou Roma, adianta a Efe.

Segundo a France-Presse, a maioria dos habitantes das cidades próximas onde ocorreu o sismo já tinha sido evacuada, na sequência dos dois terremotos que atingiram a mesma região na passada quarta-feira.

Em declarações ao canal de televisão Rainews, o presidente da Câmara de Ussita, contou que os edifícios que ainda estavam em pé na sua pequena cidade, localizada a cerca de 20 quilómetros ao norte de Norcia, colapsaram na sequência do sismo de hoje.

Como muitas outras aldeias da região, Ussita também foi evacuada após os dois terremotos de quarta-feira, que não causaram vítimas, mas provocaram muita destruição.

O sismo ocorreu quatro dias depois de dois outros fortes terramotos terem atingido a mesma região do país e dois meses depois de, em 24 de agosto, um outro de magnitude seis na escala de Richter ter causado a morte de 297 pessoas e a devastação de localidades históricas como Amatrice.

O Governo italiano anunciou na quinta-feira que ia disponibilizar 40 milhões de euros para ajudar as pessoas afetadas pelos dois fortes sismos de magnitude superior a cinco na escala de Richter que abalaram na quarta-feira o centro de Itália.