Acusação

Gémeos bebés morrem esquecidos no carro pelo pai nos EUA

Gémeos bebés morrem esquecidos no carro pelo pai nos EUA

Dois bebés de um ano foram encontrados sem vida, pelo pai, dentro do carro onde o próprio os tinha deixado, nos EUA. O homem está acusado de duplo homicídio por negligência.

Juan Rodriguez, 39 anos, pai de cinco filhos. Vive no Bronx, em Nova Iorque. Na sexta-feira, chegou ao trabalho às oito horas e estacionou o carro, como nos outros dias. No fim do turno, saiu do emprego, entrou no seu Honda Accord e pôs-se a caminho. A meio, percebeu que tinha deixado, durante oito horas, os filhos bebés, dentro da viatura. Sujeitos a temperaturas que rondavam os 30 graus, já estavam sem vida quando Juan olhou para trás. Tinham acabado de fazer um ano.

Rodriguez parou no meio da estrada e gritou desesperado, relata a Polícia de Nova Iorque, citada pela imprensa local. Foi ajudado por um homem que passava e que chamou a Polícia. Quando os serviços de emergência chegaram, nada puderam fazer, já não havia quem salvar. Declararam os óbitos.

Visivelmente consternado em tribunal

O norte-americano enfrenta agora duas acusações por homicídio negligente, por ter deixado as crianças no banco de trás do carro, enquanto estava a trabalhar, num hospital em Kingsbridge, no Bronx, onde exerce funções de assistente social.

No sábado, em tribunal, Rodriguez passou grande parte da audiência a chorar, como a mulher, Marissa, dá conta a televisão norte-americana NBC. Declarou-se inocente das acusações de homicídio e começou a tremer quando o advogado mencionou os nomes dos filhos, Luna e Phoenix, uma menina e um menino. Vai aguardar o julgamento em liberdade.

Juan Rodríguez é descrito pelos amigos e vizinhos como um bom pai. "É um tipo incrível, estava sempre lá para os filhos, sempre. Esta é uma situação horrível", disse o amigo Temple Barrows, de 41 anos, ao "New York Post". "Foi apenas um erro terrível. Ele cometeu um erro e tem que viver com ele para o resto da vida", lamentou o vizinho Tony Caterino, de 45. Os outros dizem todos o mesmo: "Gente boa e trabalhadora", "não tenho nada de mau a apontar", "não dá para acreditar".

Durante a onda de calor que se fez sentir em Nova Iorque, na semana passada, a Administração de Serviços para Crianças da cidade - agência governamental que presta serviços de assistência social a crianças e respetivas famílias - emitiu um comunicado em que alertava os pais para terem cuidado e não deixar os seus filhos em carros, exortando-os a "olhar antes de fechar".

Em média, morrem 38 crianças todos os anos nos Estados Unidos devido a insolação, depois de serem esquecidas em carros fechados, de acordo com a "kidsandcars.org", uma organização sem fins lucrativos dedicada a prevenir mortes e ferimentos em crianças e animais de estimação nessas circunstâncias. Segundo o site, até 16 de julho deste ano, já tinha havido 21 mortes.