Espanha

Governo mantém exumação de Franco apesar de oposição de pároco

Governo mantém exumação de Franco apesar de oposição de pároco

O Governo espanhol assegurou que vai continuar com o processo de exumação dos restos mortais de Francisco Franco, apesar da oposição do prior do Vale dos Caídos, onde está sepultado o ditador.

O "El País" noticiou que a Igreja não autorizou o executivo a iniciar o processo de transferência do corpo porque, segundo o prior Santiago Cantera, falta o acordo da família de Franco e o fim do processo judicial.

Depois de conhecida esta notícia, fontes do Governo espanhol citadas pela agência Efe avançaram que já era esperada esta "atitude" do pároco, "cujos antecedentes ideológicos são conhecidos publicamente".

Madrid recorda que o religioso em causa, antes de entrar na Ordem dos Beneditinos, foi candidato às eleições gerais de 1993 e europeias de 1994 pelo partido de extrema-direita Falange Espanhola Independente.

O executivo assegura que "a posição obstrucionista" do prior não impedirá que o processo continue e assegura que "mantém a sua decisão" de transferir para outro local os restos mortais de Franco.

O Tribunal Supremo espanhol rejeitou em 17 de dezembro último um pedido da família de Francisco Franco para que o Governo suspenda o processo de exumação do corpo do ditador, enquanto não for tomada a decisão final.

O executivo espanhol decidiu no início de novembro continuar com o processo de transferência do corpo, apesar do recurso apresentado pela família de Franco contra a decisão de retirar o corpo do Vale dos Caídos, nos arredores de Madrid.

O parlamento espanhol tinha aprovado em setembro último a proposta do Governo socialista a autorizar a exumação dos restos mortais do ditador.

Entretanto, ainda não se sabe para onde é que será exumado o corpo, depois de o Governo espanhol ter recusado a sua transferência para a catedral de Almudena, em Madrid, como propôs a família.

Para o executivo socialista, o corpo do ditador não pode ir para qualquer local onde possa ser "enaltecido ou homenageado".

Francisco Franco Bahamonde foi um militar espanhol que integrou o golpe de Estado que, em 1936, marcou o início da Guerra Civil Espanhola, tendo exercido desde 1938 o lugar de chefe de Estado, até morrer em 1975, ano em que se iniciou a transição do país para um sistema democrático.