Venezuela

Guaidó debate "transição democrática" com representantes da UE

Guaidó debate "transição democrática" com representantes da UE

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, reuniu-se, esta quarta-feira, com representantes da União Europeia para consolidar "a transição democrática".

"Hoje conversamos com representantes da União Europeia para consolidar o seu apoio e a transição democrática", escreveu Juan Guaidó no Twitter, agradecendo "o reconhecimento da comunidade internacional e os esforços empreendidos para resgatar" a liberdade na Venezuela.

Portugal e outros 18 países da União Europeia assinaram na segunda-feira uma declaração conjunta de reconhecimento de Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional, como "presidente interino da Venezuela" com o objetivo de convocar "eleições presidenciais livres, justas e democráticas".

Entre os países que não reconheceram Guaidó estão a China e a Rússia, embora o próprio líder do parlamento tenha descrito como "muito interessante" a atitude que esses dois países adotaram.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou Presidente da República interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro.

Nicolás Maduro, 56 anos, chefe de Estado desde 2013, recusou o desafio de Guaidó e denunciou a iniciativa do presidente do parlamento, maioritariamente da oposição, como uma tentativa de golpe de Estado liderada pelos Estados Unidos.

Esta crise política soma-se a uma grave crise económica e social que levou 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, segundo dados das Nações Unidas.