Holanda

Holandeses castigam nas eleições municipais Governo que aplicou austeridade

Holandeses castigam nas eleições municipais Governo que aplicou austeridade

Os holandeses castigaram nas eleições municipais os partidos da coligação governamental, que aplicaram medidas de austeridade impopulares, segundo os resultados definitivos divulgadosesta quinta-feira.

Desiludidos com os liberais do primeiro-ministro, Mark Rutte, e os seus parceiros trabalhistas, partido do ministro das Finanças, Jeroen Dijsselbloem, os eleitores voltaram-se para o partido centrista pró-europeu D66 e para uma multitude de pequenos partidos locais.

Os trabalhistas do PVdA viram a sua influência tradicional diminuir nas três maiores cidades da Holanda: Amesterdão, Roterdão e Haia.

"O PVdA perdeu o contacto com a sua base e não tinha as pessoas certas nos locais certos", disse o antigo "homem forte" do PVdA Rob Oudkerk à televisão pública NOS.

Os trabalhistas formaram uma coligação com os liberais depois das eleições de setembro de 2012 e são regularmente acusados pelos militantes de terem abandonado os seus princípios de esquerda a favor dos liberais.

O partido deixou de ser o maior grupo político em Amesterdão e, pela primeira vez em mais de 60 anos, o D66 assumiu a liderança.

O dirigente dos trabalhistas na capital holandesa, Pieter Hilhorst, anunciou a sua demissão, depois de o partido ter perdido mais de 10 por cento dos votos.

Os liberais também perderam influência, passando de 15,5 por cento para 12,4 por cento em todo o país.

O partido do populista Geert Wilders, o Partido para a Liberdade (PVV), eurocético e anti-imigração, apresentou listas nas cidades de Almere (a leste de Amesterdão) e em Haia, tendo ficado em primeiro lugar e em segundo, respetivamente.

A associação que junta o maior número de marroquinos na Holanda disse hoje que ia apresentar queixa contra Wilders, depois de o dirigente de extrema-direita ter perguntado num comício aos seus partidários se queriam menos marroquinos no país. "Menos, menos", gritaram os participantes do comício, ao que Wilders respondeu: "vamos tratar disso".

O partido D66, por seu turno, congratulou-se com a sua vitória.

"Vamos festejar isto e, depois, ao trabalho", declarou o líder do partido, Alexander Pechtold, citado pela agência noticiosa holandesa ANP.

Segundo a ANP, a participação nas eleições foi "historicamente baixa", rondando os 53 por cento, menos um ponto percentual que nas anteriores eleições municipais.

Imobusiness