Terrorismo

Hollande e Cameron visitaram Bataclan

Hollande e Cameron visitaram Bataclan

O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, visitaram, esta segunda-feira, o Bataclan, a sala de espetáculos parisiense, alvo dos atentados terroristas de 13 de novembro, que fizeram 130 mortos.

Segundo a Presidência francesa, os dois líderes depositaram, cada, uma rosa diante do Bataclan, onde pelo menos 89 pessoas foram mortas nos atentados terroristas do passado dia 13 de novembro, reivindicados pelo grupo radical Estado Islâmico.

David Cameron escreveu na sua conta na rede social Twitter ter estado "lado a lado" com o chefe de Estado francês, publicando uma fotografia de ambos.

Depois de prestarem homenagem às vítimas do Bataclan, os líderes seguiram para o Palácio do Eliseu, para discutirem a luta contra o terrorismo e a Síria, após os atentados de Paris, segundo a agência noticiosa francesa (AFP).

Após a reunião, segundo o programa oficial, está prevista uma declaração conjunta por parte dos dois líderes.

Na sequência dos atentados reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), Hollande defendeu a criação de uma coligação alargada para lutar contra os jiadistas na Síria e no Iraque.

O encontro com Cameron dá início a uma intensa semana de contactos diplomáticos. O Presidente francês desloca-se a Washington e a Moscovo, para encontros com Barack Obama e Vladimir Putin, e recebe a chanceler alemã, Angela Merkel, em Paris.

O Reino Unido forneceu já uma fragata para integrar o grupo aeronaval liderado pelo porta-aviões francês Charles de Gaulle, que chegou no fim de semana ao Mediterrâneo oriental.

Por outro lado, Cameron pressiona no sentido de um maior envolvimento do seu país no combate contra os jiadistas na Síria, mas enfrenta resistências no parlamento.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou na sexta-feira, por unanimidade, uma resolução, apresentada pela França, autorizando "todas as medidas necessárias" para combater o EI.

Os "ataques terroristas sem precedentes no país", como foram classificados pelo Presidente francês, ocorreram em vários locais de Paris, entre eles a sala de espetáculos Bataclan e o Estádio de França, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções da casa e da Alemanha.