EUA

Hospital cobra 35 euros a pai por abraçar filho bebé

Hospital cobra 35 euros a pai por abraçar filho bebé

Um hospital do Utah, nos Estados Unidos, cobrou 39,35 dólares (35 euros) a um pai pelo abraço que deu ao filho recém-nascido.

Ryan Grassley, de 37 anos, e a mulher Lidia, de 35, escolheram o Uttah Valey Hiospital, na cidade de Provo, para o nascimento do segundo filho (já têm uma menina de dois anos). O parto, por cesariana, custou-lhes qualquer coisa como 13,2 mil dólares (11,7 mil euros). A família terá feito o pagamento, mas recebeu entretanto uma notificação por não ter pago 39,35 dólares (35 euros) pelo "contacto pele com pele" entre pai e recém-nascido.

A história, contada esta quarta-feira pelo "New York Daily News", revela que Ryan Grassley ficou espantado com a cobrança do hospital e decidiu publicar a fatura do hospital nas redes sociais.

"Quando vimos a fatura pensámos que não estávamos loucos, mas parecia ridículo", disse Grassley, que trabalha numa fundição de ferro. "Eu não tinha ideia de que seria cobrado por abraçar o meu filho", acrescentou. E com bom humor à mistura, congratula-se por agora poder abraçar "gratuitamente" o filho em casa.

Sobre a insólita cobrança, o jornal norte-americano cita a explicação de uma enfermeira do Utah Valley Hospital. Segundo esta, "o contacto entre pai e recém-nascido na sala de cirurgia requer um membro do pessoal adicional para assistir o bebé".