Espanha

Iberdrola acusada de lucro ilícito de 20 milhões

Iberdrola acusada de lucro ilícito de 20 milhões

A companhia elétrica espanhola Iberdrola - presente também no mercado português - está a ser investigada por suspeitas de ter elevado de forma artificial o preço da luz.

De acordo com a acusação feita pelo departamento Anticorrupção, a manipulação do preço da energia teria permitido à Iberdrola obter "um lucro ilícito de 20 milhões de euros" durante o inverno de 2013, coincidindo com uma vaga de frio.

De acordo com a denúncia, que foi aceite pela Audiência Nacional, a companhia teria "posto em marcha um sistema para incrementar o preço da energia que vendia para além do que poderia resultar da livre concorrência da oferta e procura". Seguindo as instruções do juiz Ismael Moreno, que investiga o caso, a Guardia Civil realizou ontem buscas nas sedes da Iberdrola em Bilbau e Madrid, à procura de documentação relacionada com a suposta fraude.

Já multada em 2015

O Ministério Público espanhol imputa, assim, aos administradores da energética um delito "contra o mercado e contra os consumidores", que poderiam enfrentar penas de um a cinco anos de prisão. A via penal abre-se depois da multa de 25 milhões de euros imposta à Iberdrola em 2015 pela Comissão Nacional de Mercados e Concorrência (CNMC), por manipular o mercado energético, numa conduta então considerada "muito grave".

Trata-se da primeira vez que uma empresa elétrica terá de responder em tribunal por atuações deste tipo em Espanha. Depois de conhecer a notícia, a companhia negou "rotundamente" a realização de "qualquer manipulação fraudulenta" dos preços da eletricidade, indicando que o seu comportamento nesta questão foi sempre "completamente racional e legítimo".