Natureza

Ilha russa declara emergência por invasão de ursos polares

Ilha russa declara emergência por invasão de ursos polares

As autoridades russas encaminharam um grupo de especialistas para uma ilha na região do ártico para sedar e retirar dezenas de ursos polares que estão a ameaçar as pessoas que lá vivem.

A decisão foi tomada, segundo explica o jornal "The Guardian", depois de as autoridades do arquipélago de Nova Zembla, com uma população a rondar três mil pessoas, terem pedido ajuda.

"Nunca houve uma invasão em massa de ursos polares como esta", disse Zhigansha Musin, das autoridades locais. "Eles estão literalmente a perseguir várias pessoas", admitiu.

Alexander Minayev, deputado que representa o arquipélago, explicou aos jornalistas que "os habitantes estão assustados e com medo de saírem de casa. Os pais não deixam os filhos irem à escola". Por este motivo, foi declarado o estado de emergência na região.

Nas redes sociais foram publicados vídeos e fotografias em que se pode ver os ursos a entrarem em casas e próximos das populações. A Rússia classificou os ursos polares como sendo uma espécie em risco e disparar contra eles é proibido.

No entanto, as autoridades defendem que o abate destes animais pode vir a ser a solução, caso as tentativas de os retirar do local fracassem.

Degelo responsável pela aproximação

Os ursos polares passam grande parte do tempo no gelo, onde caçam e se alimentam de focas. Com o degelo no Ártico os animais são obrigados a procurarem alimentos noutras zonas, entrando em contacto com as populações humanas.

De acordo com o "Washington Post", foram avistados pelo menos 52 animais em Belushya Guba, uma das zonas mais povoadas da região.