Noruega

Por dentro do navio de cruzeiro à deriva com mais de mil pessoas a bordo

Por dentro do navio de cruzeiro à deriva com mais de mil pessoas a bordo

Um navio de cruzeiro ficou à deriva ao largo da costa da Noruega, com 1300 pessoas a bordo. O resgate esta a ser feito por via aérea, mas é lento. Em seis horas foram retiradas 139 pessoas.

O alerta foi dado este sábado, pelas 14 horas locais (13 horas em Portugal continental), e o navio de cruzeiro Viking Sky ficou à deriva a cerca de 2,5 milhas náuticas da área de Møre og Romsdal (oeste da Noruega), uma região onde os naufrágios são frequentes, com os seus ventos fortes e correntes. Mesmo em dificuldades, conseguiu ancorar entre as cidades norueguesas de Alesund e Trondheim e tenta não encalhar na costa rochosa.

Cinco helicópteros foram mobilizados para as operações de resgate dos 1300 passageiros. Mas dois aparelhos foram desviados para socorrer a tripulação do cargueiro Hagland Captain, que também teve problemas nos motores e se encontra na baía de Hustadsvika.

No interior, aguarda-se o resgate. E sentem-se as águas agitadas. O instituto meteorológico da Noruega diz que há ondas com mais de 10 metros.

De acordo com informações da radio-televisão pública norueguesa NRK, a operação deverá ser prolongada e vai decorrer durante a noite, uma vez que cada helicóptero transporta entre dez e quinze passageiros de cada vez.

A NRK noticiou que um passageiro de 90 anos e a mulher, de 70, ficaram gravemente feridos dentro do navio, mas não forneceu pormenores sobre o que aconteceu.

Segundo a imprensa norueguesa, a maioria dos passageiros do navio de cruzeiro são turistas britânicos e norte-americanos.

As autoridades norueguesas montaram um centro de apoio num pavilhão desportivo perto da costa para receber os passageiros que vão sendo resgatados.

O Viking Sky encontrava-se numa viagem de 12 dias, iniciada a 14 de março na cidade norueguesa de Bergen, segundo a página da internet cruisemapper.com. O navio ia fazer escala nas cidades norueguesas de Narvik, Alta, Tromso, Bodo e Stavanger antes da chegada, prevista para terça-feira, ao porto britânico de Tilbury, no rio Tamisa.

O navio, construído em 2017, pertence à Viking Ocean Cruises, que integra o grupo Viking Cruises, fundado pelo bilionário norueguês Torstein Hagen.