Mundo

Incidente junto da embaixada dos EUA na Bósnia foi ataque terrorista

Incidente junto da embaixada dos EUA na Bósnia foi ataque terrorista

As autoridades da Bósnia-Herzegovina disseram que o homem que esta sexta-feira disparou junto à embaixada dos Estados Unidos em Sarajevo tinha como alvo a representação diplomática e descreveram o incidente como um ataque terrorista.

O homem, não identificado, disparou com uma espingarda automática em frente à embaixada norte-americana, ferindo pelo menos um polícia que guardava o edifício antes de ter sido atingido e preso.

Bakir Izetbegovic, o membro bósnio muçulmano da presidência tripartida do país, disse numa nota que condenava "o ataque terrorista à embaixada dos Estados Unidos na Bósnia-Herzegovina".

Disse ainda que o tiroteio deve ser rápida e eficientemente investigado e que os Estados Unidos são "um amigo fiel da Bósnia-Herzegovina", de acordo com a agência noticiosa norte-americana AP.

O incidente tinha sido noticiado inicialmente pela rádio bósnia, indicando que a polícia tinha abatido um homem do movimento wahhabita que tinha disparou contra a embaixada norte-americana em Sarajevo.

"Um homem, membro do movimento wahhabita, de cerca de 40 anos, disparou com uma Kalachnikov sobre a embaixada norte-americana", indicou a rádio, segundo a qual o atacante tinha sido depois morto com um tiro.

O wahhabismo é um movimento religioso muçulmano radical.