Mundo

Inocente esteve preso 27 anos

Inocente esteve preso 27 anos

Foi preso com 30 anos e passou 27 anos na prisão por homicídio com base numa confissão falsa e em testes que apenas determinaram o grupo sanguíneo do assassino de uma jovem inglesa.

Um cidadão britânico passou 27 anos na cadeia, acusado de um crime que não cometeu. Sean Hodgson, agora com 57 anos, estava acusado da violação e homicídio de Teresa de Simone, de 22 anos, mas os testes de ADN efectuados no final do ano passado pelas autoridades inglesas provaram que estava inocente.

O crime ocorreu em 1979, e a vítima foi encontrada no banco traseiro do seu carro, que se encontrava no parque de estacionamento do pub onde trabalhava em part-time. Sean Hodgson confessou o crime por diversas vezes, antes de se declarar inocente durante o julgamento, no Tribunal de Winchester. Os advogados de defesa sustentaram que Sean Hodgson era um mentiroso patológico e que as confissões não eram verdadeiras.

À data do julgamento, em 1982, ainda não se efectuavam testes de ADN às provas recolhidas na cena de um crime. Os meios disponíveis na altura apenas permitiram concluir que o esperma recolhido na cena do crime pertencia a um homem com sangue dos tipos A ou AB e o réu estava nessa categoria .

Ontem, à saída da prisão, Sean Hodgson confessou que o seu sonho "durou 27 anos". "Sei que é muito tempo, mas finalmente tornou-se realidade", afirmou aos jornalistas.

O seu advogado, Julian Young sublinhou que o inquérito que deverá ser agora instaurado, "irá apurar como foi possível isto acontecer e garantir que não se volta a repetir um caso semelhante".

As autoridades britânicas ponderam rever casos de homicídio em que os arguidos tenham sido condenados antes de os testes de ADN serem aplicados. Por outro lado, o juiz que ordenou a libertação de Sean Hodgson considerou que a decisão "deixa algumas perguntas por responder". "O mais importante talvez seja o facto de não sabermos quem violou e matou a jovem. Esperamos, para sossego de todos, que o assassino possa ainda ser identificado e trazido perante a Justiça ", afirmou o magistrado.

Sean Hodgson é, no Reino Unido, uma das pessoas que esteve mais tempo presa por um erro da Justiça. Em 2002, ocorreu um caso semelhante, quando o tribunal ordenou a libertação de um homem, condenado por homicídio, que também esteve preso durante 27 anos.