Terrorismo

Líder do Estado Islâmico aparece em vídeo pela primeira vez em cinco anos

Líder do Estado Islâmico aparece em vídeo pela primeira vez em cinco anos

O líder do autoproclamado Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, apareceu pela primeira vez em cinco anos num vídeo de propaganda divulgado esta segunda-feira por uma rede ligada ao grupo terrorista.

No vídeo, cuja autenticidade não foi comprovada, Al-Baghdadi surge sentado de pernas cruzadas no chão, sobre umas almofadas, com uma longa barba e a cabeça coberta por um lenço negro, vendo-se ao seu lado uma metralhadora encostada à parede de uma divisão branca em que se encontram outros homens não-identificados.

O autoproclamado "califa" assegura então que "a batalha do Islão contra os cruzados é longa" e não acabou, apesar da derrota sofrida na Síria em março passado.

O dirigente máximo do EI refere-se ao último bastião do grupo na Síria, a localidade de Al-Baghuz, de onde os 'jihadistas' foram expulsos em março, assim levando à declaração pelas autoridades norte-americanas do fim do "califado" que o grupo extremista proclamou em 2014 nos territórios que controlava naquele país e no Iraque.

"A batalha de Al-Baghuz terminou e nela foi evidente a barbaridade dos cruzados contra a nação muçulmana, ao mesmo tempo que foi evidente a paciência e coragem da nação muçulmana, o que arrancou o coração aos cruzados", disse Al-Baghdadi, que não olha para a câmara e se dirige, em vez disso, aos homens presentes na sala.

Em seguida, o líder do EI agradeceu os sacrifícios de todos os "mártires" que morreram nessa e noutras batalhas e indicou que o EI realizou um total de 92 operações em oito países, sem especificar quando.

Essas "conquistas" foram uma "vingança pelos irmãos do Levante (Médio Oriente)" e "reafirmam a unidade nas fileiras dos 'jihadistas', a sua determinação e consciência do que a luta exige e o seu entendimento da realidade que vivem", salientou.

Os combatentes do EI "entendem que a batalha contra os inimigos é uma batalha de desgaste", acrescentou Al-Baghdadi, pelo que lhes aconselhou que "ataquem os seus inimigos e os desgastem a todos os níveis".

Nesse sentido, deu a sua "bênção" ao juramento de lealdade ao EI por parte dos "irmãos do Mali e do Burkina Faso", a quem pediu que "intensifiquem os seus ataques contra a França cruzada e seus aliados e que vinguem os seus irmãos no Iraque e no Levante".

Nas imagens, vê-se Al-Baghdadi a conversar com outros supostos combatentes - cujas caras foram tapadas pela produtora do vídeo, a Al-Furqan, e que envergam túnicas e lenços típicos de diferentes países árabes - que lhe apresentam alguns documentos aparentemente sobre diversas atividades em províncias que integram o EI.

Esta é a primeira vez que surgem imagens de Abu Bakr al-Baghdadi desde que proclamou o "califado" no Iraque, em meados de 2014, num sermão proferido na Grande Mesquita de Al-Nuri, em Mossul.

Desde então, apenas foram divulgadas algumas mensagens áudio suas, a última das quais em agosto de 2018.