Brexit

"Liderados por burros": a hipocrisia dos políticos em cartazes

"Liderados por burros": a hipocrisia dos políticos em cartazes

Podia ser uma cena do filme "Três Cartazes à Beira da Estrada" - nomeado para "Melhor Filme" nos Oscars do ano passado -, em que a protagonista tenta chamar a atenção para um caso de homicídio alugando três cartazes à entrada da cidade de Ebbing, no estado norte-americano do Missuri. Mas, neste caso, há mais do que três "outdoors" espalhados pelo Reino Unido. E são todos contra o Brexit.

São mais do que três cartazes vermelhos com frases a negro, como no filme. São dezenas deles, com fundo branco e imagens de "tweets" (publicações) de políticos britânicos sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. Na verdade, são afirmações ditas no parlamento ou em discursos, e não frases partilhadas no Twitter, que revelam o que se disse sobre o Brexit e o que está a ser na verdade este tortuoso processo.

"Acredito que é claramente do interesse nacional permanecer na União Europeia", é uma das citações espalhadas pelas ruas, da primeira-ministra Theresa May. "Não é um tweet, ela disse mesmo isto", recordam os ativistas que instalaram os cartazes, em alusão ao discurso de May na Instituição de Engenheiros Mecânicos, em Londres, no dia 25 de abril de 2016.

São quatro homens e identificam-se como "Led By Donkeys" (ou "liderados por burros", em bom português). Fazem-se à estrada de manhã cedo, vestidos com "hoodies", camisas de lenhador e gorros, levam um escadote e vão espalhando os "outdoors" pelo país, revelando a "hipocrisia e as mentiras dos políticos".

No Twitter, a página dos ativistas começou com pouco mais do que mil seguidores, em dezembro do ano passado, mas as imagens dos cartazes rapidamente começaram a circular nas redes sociais, incluindo a partilha de uma jornalista do "The Guardian", e agora já tem quase 60 mil.

No vídeo em cima, publicado na quarta-feira, é possível ver o processo de instalação de um dos cartazes, com uma frase do político e membro do partido Conservador, Boris Johnson. "Brexit significa Brexit e vamos fazer dele um sucesso titânico", afirmou Johnson em novembro de 2016. Os ativistas estamparam a frase num painel gigante e quando partilharam o vídeo escreveram: "Tens aquele sentimento do Brexit a afundar? Vê este vídeo até ao fim e partilha. Boris Johnson iria odiar isso".

Os "Led By Donkeys" começaram por ser ativistas de guerrilha, mas com o sucesso da iniciativa tornaram-se "legítimos" e até já são pagos para instalar mais cartazes, com citações "encomendadas" pelos seguidores.

Nesta publicação de 5 de fevereiro, os ativistas recordavam que já tinham quatro semanas de atividade. "Em baixo podem ver todos os painéis que fizemos até agora. Os números 1-8 foram são de operações de guerrilha, os outros foram pagos por vocês. Vota nos teus favoritos com "likes" e partilhas (nós [adoramos os cartazes] 1,4 e 24). Vamos imprimir e instalar o cartaz vencedor e enviá-lo para o 'burro' que disse a frase", pode ler-se no Twitter.

Numa reportagem do jornal britânico "The Guardian", os ativistas explicam que tudo começou numa conversa num bar, quando falavam sobre um famoso "tweet" de David Cameron. "O Reino Unido enfrenta uma escolha simples e inescapável - estabilidade e um governo forte comigo ou o caos com Ed Miliband", afirmou o ex-primeiro-ministro.

Um dos homens perguntou: "Porque é que não estampam a frase num 'outdoor' e fazem um tweet que não se pode apagar?". No dia seguinte, num grupo do WhatsApp, outro dos ativistas disse que havia encontrado alguém que iria imprimir o cartaz. Todos concordaram: "Vamos fazer isto".

Imobusiness