Síria

Mãe holandesa foi sozinha à Síria resgatar a filha do Estado Islâmico

Mãe holandesa foi sozinha à Síria resgatar a filha do Estado Islâmico

Contra todas as advertências das autoridades, Monique viajou da Holanda à Síria, vestiu uma burca e resgatou a filha, sã e salva, das mãos dos jiadistas do Estado Islâmico. A história de sorte e coragem está a impressionar o mundo.

Consciente de todos os riscos e da improbabilidade de cumprir a sua missão com êxito, Monique, natural de Masstricht, decidiu viajar até Raqqa para salvar Aicha, a filha.

"Às vezes temos que fazer o que temos de fazer. É o que acho que está certo", justificou à família e aos amigos, conta o jornal "The Telegraph".

Aicha converteu-se ao Islão com 18 anos e casou-se com um jiadista holandês. Quando lhe pediu ajuda para fugir, no mês passado, marcaram um encontro através do Facebook, ignorando os conselhos da polícia para não o fazer - era demasiado perigoso.

Voou da Holanda para a Turquia e depois viajou até Raqqa, bastião do Estado Islâmico. Conseguiu encontrar-se com a filha e as duas escaparam pela fronteira com a Turquia, onde Aicha foi detida por não ter passaporte.

Neste momento, o Governo holandês está a agir no sentido de trazer mãe e filha de volta a casa até ao final desta semana.

"É incrível como conseguiu encontrar e trazer a filha de volta", disse o advogado da família.

Imobusiness