EUA

Mãe pede que ex-marido não seja executado por matar os 5 filhos

Mãe pede que ex-marido não seja executado por matar os 5 filhos

Uma mãe norte-americana pediu ao júri que o ex-marido não fosse condenado à pena de morte por matar os cinco filhos.

Tim Jones, de 37 anos, foi condenado em maio por matar os cinco filhos, de um a oito anos de idade. O crime ocorreu na sua residência, perto de Lexington, no estado de Kentucky, no dia 28 de agosto de 2014. De acordo com a BBC, Jones ficou furioso quando viu um dos filhos, Nahtahn, de seis anos, a brincar com uma tomada. Após matar a criança, decidiu estrangular os outros quatro filhos.

Depois de embrulhar os corpos em plástico, Jones colocou-os no carro e conduziu durante nove dias para deixar os restos mortais na zona rural do estado do Alabama. Numa operação stop, no Mississípi, um policia apercebeu-se do "cheiro a morte" no carro e Jones foi detido. No julgamento, declarou-se inocente, alegando ter cometido o crime por "motivos de insanidade", por sofrer de esquizofrenia não diagnosticada.

Esta terça-feira, num tribunal da Carolina do Sul, o júri discutiu se Jones deveria ser condenado à pena de morte ou a prisão perpétua. Amber Kyzer, a mãe dos filhos, disse ao júri que apesar de desejar que o sistema legal americano "fritasse" o ex-marido, não escolheria executá-lo porque "os filhos amavam-no". Kyzer acrescentou que, no entanto, respeitaria qualquer decisão que o júri tomasse.

O casal casou-se seis semanas depois de se conhecerem em 2004, enquanto trabalhavam num parque de diversões, na área de Chicago. Amber refere que se divorciaram, depois de nove anos juntos, porque Jones tornou-se religiosamente rigoroso e exigia que as mulheres fossem "vistas e não ouvidas".