Mundo

Mais de 38 mil crianças em risco de morrer de fome na Somália

Mais de 38 mil crianças em risco de morrer de fome na Somália

Mais de 38 mil crianças somalis estão em risco de morrer de fome, ainda que a situação alimentar tenha melhorado num terço do país, imerso no caos há mais de 20 anos.

Mais de 731 mil pessoas, entre as quais 203 mil crianças, estão subnutridas e enfrentam "uma grave insegurança alimentar", segundo um relatório da Unidade de Análise da Segurança Alimentar e Nutrição (FSNAU) da ONU e da Rede de Alerta Precoce da Fome (Fews Net), financiado pela Agência de Desenvolvimento norte-americana (USAID).

Aquele número representa contudo uma diminuição de 30 por cento nos últimos seis meses, graças a "chuvas relativamente abundantes" no final de 2014.

Das "cerca de 202.600 crianças menores de cinco anos que sofrem de má nutrição aguda, 38.200 estão gravemente subnutridas e apresentam um risco elevado de enfraquecimento e de morte", assinalam os especialistas.

Os três quartos dos somalis que precisam desesperadamente de alimentos são os deslocados que fugiram à violência dos confrontos entre os radicais islâmicos 'shebab' e as tropas governamentais, apoiadas pela força da União Africana (AMISON).

"As taxas de subnutrição continuam obstinadamente altas", disse o responsável da ajuda humanitária da ONU na Somália, Philippe Lazzarini, adiantando que "as perspetivas para 2015 são preocupantes".

Há três anos, uma grave seca no Corno de África, associada à guerra civil, levou a uma fome na Somália que matou mais de 250 mil pessoas.